PUBLICIDADE

Política

Câmara de Vereadores rejeita as contas de Wainer Machado

O ex-prefeito se defendeu no plenário, mas mesmo assim teve as contas desaprovadas por 9 votos a 6

A Câmara de Veadores desaprovou as contas de gestão de 2012 do ex-prefeito Wainer Machado (PSB). A votação aconteceu no plenário João Goulart, durante sessão extraordinária realizada para esta sexta-feira (11).
O início da reunião foi marcado pela leitura do exttenso  parecer da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento que acompanha o parecer desfavorável das contas do ex-gestor municipal. O relatório aponta a obrigatoriedade de observância dos princípios constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade.
Em sua fala, o ex-prefeito se defendeu e reconheceu algumas questões as quais não foram apontadas pelo relatório do tribunal. “Em 2012 eu usei verba vinculada para pagar o funcionalismo. E o TCE não apontou. Deve ter visto a boa fé. Em poucos dias os valores estavam de volta nas contas. Não existiu prejuízo a ninguém. Mas o que teria acontecido se atrasasse o salário de 1400 famílias de servidores municipais. Aí sim eu estaria causando 1400 prejuízos num ato só. Mas estaria de acordo com o que TCE quer ver e nos cobra, a aplicação da letra fria da Lei”, disse.
Wainer continuou lembrando aos parlamentares que o julgamento da Câmara não é técnico, e sim político. “O relatório não aponta que faltou prestação de serviço, mas sim alguns atos administrativos. Quem estava aqui em 2012 sabe as dificuldades que existiam em nosso Município. Por mais justa, honesta e proba que sejam as condutas dos prefeitos e dos presidentes dessa Casa, não vão se escapar dos apontamentos do Tribunal. E a pergunta que fica é, por ventura, essas pessoas merecem ter os direitos políticos caçados?”, questionou ele.
Durante a sessão, vereadores da Situação e Oposição colocaram as suas opiniões a respeito das contas de Wainer. Por 9 votos a 6, as contas do ex-prefeito Wainer foram desaprovadas e o político deverá perder os seus direitos políticos pelos próximos 4 anos. Para que Wainer pudesse derrubar o parecer,  ele precisava de, no mínimo 12 votos

Por: Rodrigo Evaldt - rodrigo@jornalaplateia.com - 12/08/2017 às 11:50

 

Deixe seu comentário