Rural

Exportações do agronegócio registram queda em junho

Na comparação com o mesmo período de 2016, a retração foi de 15,9%;

Segundo informação do Sistema Farsul (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul), as exportações do agronegócio gaúcho fecharam o mês de junho em queda. Na comparação com o mesmo período de 2016, a retração foi de 15,9%; em maio de 2017, o resultado foi 7,2% menor. O setor foi responsável pela comercialização de US$ 1,1370, o que representa 67,4% do total negociado pelo Rio Grande do Sul. As informações estão no Relatório de Comércio Exterior do Agronegócio do RS, divulgado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul nessa terça-feira, dia 11.
O grupo Complexo Soja foi o principal responsável pela queda nas exportações. Na relação com junho de 2016, o grão recuou - 26%, Carnes e Cereais também influenciaram diretamente o saldo com -13,2% e -27,1%, respectivamente. Quando comparado com maio de 2017, a oleaginosa novamente puxou o resultado negativo com -22,6%, Cereais também tiveram queda expressiva de -60,6%.
Apesar dos números finais, alguns produtos registraram aumento nas vendas. É o caso dos grupos Fumo (23,6%) e Produtos Florestais (2,1%) na comparação entre os meses de junho de 2016 e 2017. Mas o grande destaque fica com o grupo Frutas que cresceu 1.075%, um salto de US$ 719 mil para US$ 8,464 milhões exportados.  Entre junho e maio de 2017, Carnes, Fumo e Produtos Florestais apresentaram crescimento de, respectivamente, 8,4%, 80,4% e 32,5%.
No acumulado do ano, o agronegócio exportou US$ 5,276 bilhões, uma leve queda de 0,67% em relação ao mesmo período ano passado.  Mesmo com o resultado do último mês, o grupo Soja registra crescimento de 7,6% no primeiro semestre em relação a 2016. Carnes (3,9%), principalmente influenciado pela Carne Suína (21,4%), e Milho (65,8%) também se destacaram. Já os grupos Cereais (-12,2%), Fumo (19,8%) e Produtos Florestais (15,6%) apontam queda no período. A China continua sendo o principal parceiro comercial do agronegócio gaúcho, destino de 41,7% do valor exportado. Em segundo lugar aparece os Estados Unidos com 3,93% de participação. Em terceiro lugar temos a Rússia e 3,7% de participação.

Por: Matias Moura - redacao@jornalaplateia.com - 14/07/2017 às 10:56

 

Deixe seu comentário