Editorial

Perdeu o pessimismo

Santana do Livramento e região comemoram. Ganhamos um presente, em meio a toda angústia e ansiedade que fazem parte de um projeto desta magnitude, como o do Complexo Turístico Amsterland.

Jorrou a água termal. A vazão superou as expectativas. Por debaixo onde pisamos, corre um “oceano” de água termal, no popular, água quente. Não eram apenas as esperanças de João Gabriel Hillal, presidente do Amsterland, que ferviam para ver a água termal sair a 40 graus do poço, eram as esperanças de uma comunidade inteira. Muitos torcendo de forma explícita; outros, com certo receio; alguns com algum pessimismo; todos com a expectativa, lá dentro, de que o dia de ontem, enfim, chegasse.

Avançamos rumo a um novo tempo. A região sul do Brasil e a norte do Uruguai vibram como nunca. A casa está construída, agora é rumar para o acabamento, aqueles detalhes, que talvez nem fossem tão necessários, perto da conquista obtida. Vontade é mesmo de se jogar nessa água quente que já vem lá de baixo.

O otimismo, o arrojo, a esperança por dias melhores e de desenvolvimento sustentável de nossa região venceram. Todos vencemos. Acordamos realizados nesta manhã de terça-feira. Que alívio! Ufa! Já disse o geólogo Guilherme Pinz, do Complexo Amsterland: “Acabou a obra”.

É claro que tem muita obra pela frente. Mas o que Guilherme quer dizer é que o fundamental está feito. De que adiantaria erguer centros comerciais, parque de diversões e tudo o mais sem a perfuração do poço para encontrar e fazer jorrar a água termal?

O elemento-chave do projeto está pronto. Há trabalho pela frente, mas um trabalho sem dúvida menos ansioso, com, talvez, um pouco menos de adrenalina, afinal, temos água termal. O estudo sinalizou, a sonda tocou no fundo e encostou na água e agora ela veio à superfície.

Os novos tempos estão chegando, nada será como antes, não tenhamos dúvida disso. O que resta é seguirmos fazendo nossa parte. Cada vez mais turistas virão à Fronteira. Tratemos de cuidar de nosso cartão-postal, que é essa divisa que não separa, mas une. Vamos cuidar do espaço público, não vamos jogar lixo, vamos ser mais cordiais, porque Livramento espera isso de nós, assim como esperou pelo arrojo de empresários, investidores, parceiros e sócios do Amsterland para que no dia hoje pudéssemos acordar e vociferar: Aqui tem água termal!

Por: - 11/07/2017 às 11:00

 

Deixe seu comentário