dom, 5 de dezembro de 2021

A PLateia Digital - 04-05/12/2021

Última Edição

E o tempo muda

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Talvez esteja me tornando repetitiva. Talvez minha incredulidade seja tanta que não consiga assimilar essa mudança de valores. Talvez as mudanças sejam muitas para minha geração. Talvez minha geração que saiu do telefone fixo em pouquíssimas casas, lá pelos anos 60, a fazer do celular a extensão da mão do ser humano porque sem ele a pessoa entra em depressão; a ir à escola para aprender a falar/escrever corretamente esforçando-se para tirar boas notas; ou dos valores de que o que não te pertence não podes te apropriar; ou a verdade só tem um lado: verdade é verdade; certo é certo. Com o passar dos anos essa interpretação passou a se dilatar: minha verdade é a verdade; a verdade do outro, se não me serve, não é verdade.
A longevidade mais extensa é um fato, e junto com ela vem a adaptação à mudança de mentalidade, à evolução sob todos os aspectos. Confesso, porém, que não está sendo fácil. Talvez por ainda acreditar que o bem sempre vence o mal. Ingenuidade? Utopia? Sei lá que nome dar a essa esperança de que os valores se preservem. Que a perfeição não existe, não há que se discutir, mas ter que distorcer, subverter, deformar a verdade, os valores, só para agradar uma geração que não pensa sozinha, repete como um papagaio o que aquele mais malandro, mais manipulador diz. Gente, morro e não vejo tudo. Morro e não vejo a que ponto chega o ser humano. Na melhor (ou pior) das hipóteses sempre podemos lançar mão do impeachment, afinal os fins justificam os meios. Ou não?