dom, 11 de abril de 2021

Jornal A Plateia Digital - 03.04.2021

Última Edição

ELES ESTÃO SOLTOS! E AGORA?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Buenas!

Todos eles estão soltos e nós estamos presos, não concordam? O que será de nós a partir de agora? Como bom cronista que tento ser, não almejo apresentar respostas, mas sim, desenvolver questionamentos, apresentando argumentos para reflexão de meus 23 leitores (sim, teve um acréscimo nesses últimos tempos, como costumava dizer meu mestre Verissimo…).
Quando completa um ano de existência, a pandemia, livre como uma onda, comporta-se como um verdadeiro tsunami, abalando as estruturas do Brasil de norte a sul. Não fosse isso o bastante, tivemos um abalo sísmico político no país. Lula teve as condenações do ex-juiz Sérgio Moro anuladas pelo ministro do STF Edson Fachin. Sim, isso é notícia velha, todos já sabem disso, contudo, segue um comentário pertinente: não foi decidido que o ex-presidente é inocente, que não tem culpa no cartório, para usar uma expressão popular. O que foi decidido, talvez tardiamente, é que o julgamento não deveria ter ocorrido em Curitiba, mas sim na comarca da justiça federal em Brasília.

Ou seja, não é uma absolvição, muito menos uma carta branca. Porém, com essa decisão, Lula não é mais considerado inelegível e poderá se candidatar a qualquer coisa nas próximas eleições. Será que ele irá atirar-se para a corrida presidencial, que, por sinal, já está em franca operação? Vejam o caso aqui do nosso rincão. O governador Eduardo Leite foi convidado para ser pré-candidato ao cargo máximo de nossa jovem república. Resultado: protestos presenciais em frente ao Palácio Piratini, com muita gente abraçada em bandeiras e sem máscara pedindo a saída dele, atacando a gestão estadual.
Claro que oficialmente não foi esse o motivo, mas sim porque ele mandou todos ficarem em casa, fechou lojas, restaurantes e comércios, uma rigidez só vista nos primeiros meses da pandemia. Não chamaram-no de déspota porque provavelmente não saberiam o significado dessa palavra, mas usaram outras de baixo calão, pedindo sua queda. E o jovem governante tomou essas atitudes por vaidade? Caso fosse, seria melhor do que o motivo real, que são os hospitais rejeitando pacientes em todo o estado e boa parte do Brasil por não terem lugar para todos que estão contaminados e sofrendo os efeitos desse vírus que tornou-se mais avassalador do que já era após o carnaval…

Falando em festas, elas foram responsáveis pela invasão aos hospitais ou seria a nova cepa? Penso, baseado nas análises que acompanho de especialistas, que foi um somatório disso tudo. Janeiro e fevereiro foram períodos de calmaria e coincidiram com o começo da vacinação. Apesar de estar ocorrendo com uma lentidão absurda, ela gerou um relaxamento de certa parcela da população cansada de ficar em casa. A consequência disso tudo são os recordes de internações e as mortes aumentando diariamente nas manchetes do noticiário.
Aliás, as vacinas demoraram demais para serem compradas e estão chegando em conta-gotas ao país. Quem devia comprar não valorizava sua eficácia, porém, felizmente, agora elas estão recebendo o devido reconhecimento. A lástima é que, similar à futura disputa presidencial que será acirrada, os governantes de boa parte dos países adiantaram as compras e negociações. As empresas estão tendo dificuldades para entregar as encomendas feitas ano passado, imaginem os pedidos retardatários…

Incautos cidadãos! Esse vírus não é compreendido por quem pesquisa e estuda o assunto, não sejamos inocentes de acreditar em textos ou vídeos que circulam em grupos da família ou de amigos! Até mesmo pessoas vacinadas podem ser contaminadas, não sofrendo os efeitos graves, ao menos é o que dizem esses mesmos estudos. Ou seja, precisamos nos cuidar muito e por muito tempo.
E, no meio disso, temos a política. Quem dera pudéssemos ter uma máquina do tempo e pular esse ano que passou e o que estamos vivendo. Muitos reclamaram da soltura do Lula, outros comemoraram. Aproveito para perguntar: o ministro Fachin fez certo? Não sou da área jurídica, mas até entre eles, juízes supremos, há diferentes interpretações. Podem, inclusive, anular todas as sentenças do ex-juiz (que também é cotado como pré-candidato apesar de sua passagem relâmpago pela atual gestão), bagunçando mais ainda o coreto, soltando muitos políticos assumidamente corruptos que estão presos e inclusive devolveram bilhões de reais desviados em desgovernos anteriores.

E nós, que estamos presos em nossas casas, que não podemos frequentar uma academia, ir tomar uma cerveja em bar, praticar seu esporte preferido, nós que temos de usar máscara quando fora de casa, o que podemos fazer enquanto eles e esse vírus estão soltos?

Vocês, meus parcos e valiosos leitores, eu não sei o que farão. Eu cá de minha parte vou manter a atenção ao que acontece ao meu redor, lendo jornais, assistindo o noticiário, buscando me informar para poder decidir com parcimônia quando meu voto e opinião forem exigidas. Quando puder, vou correr, para exorcizar tanta confusão, mas de máscara. Mesmo não sendo o mais confortável, a saúde vem em primeiro lugar.
Afinal, somos animais racionais, quero continuar escrevendo e evoluindo, como nos disse Charles Darwin no século XIX: “Só o homem é capaz de um aperfeiçoamento incomparavelmente maior e mais rápido que qualquer outro animal. Isso se deve a sua capacidade de falar e transmitir o conhecimento adquirido.”

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies