qua, 22 de setembro de 2021

Aplateia Digital - 18-19/set/2021

Última Edição

A CHINA E SUA VORACIDADE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Não é preciso ser muito inteligente, nem muito bem-informado para se dar conta do que a China vem fazendo ao mundo desde há muito tempo. Começou, lentamente, vendendo suas quinquilharias a preço de banana aos tupiniquins – como nos tempos em que Portugual trazia missangas aos índios brasileiros – parece que a História se repete. Por tratar-se de mercadoria baratíssima, embora todos nós soubéssemos que era fruto de trabalho escravo infantil, ninguém resistia à oportunidade de comprar seus produtos. Claro, sempre desprezando a aquisição dizendo que por ser produção chinesa logo, logo se estragaria. Válido também para os eletrônicos, é claro. Porcaria ou não, devagar, muito devagar seus produtos foram tomando conta de nossas prateleiras, levando muitas fábricas brasileiras à falência por não poderem competir com seus preços baixíssimos. Não satisfeita, por ser um país com 1,5 bilhão de bocas para alimentar, a China começou a comprar terras no estrangeiro como, por exemplo, nos Estados Unidos, Austrália e Brasil. Ainda que digam que aqui, por termos uma política que impõe restrições (relacionadas ao tamanho da área a ser adquirida ou arrendada e ao percentual do território do município que já está nas mãos dos estrangeiros) eles estão em 9º lugar no ranking de posse de terras por estrangeiros. Se por um lado, há os que criticam nossa política dizendo que os países vizinhos agradecem as nossas restrições; por outro lado, estamos evitando que a China acabe comprando o Brasil inteiro.
E agora para dar mais um golpe no mundo, já estão falando em um novo vírus, ainda misterioso, também da cidade de Wuhan, que provoca problemas pulmonares e pneumonia (fake knews? Quem sabe?). Vale lembrar que a SARS também começou na China, só que na porção continental, e se espalhou até os Estados Unidos e o Canadá, causando mais de 700 mortes, durante a epidemia de 2003.
E devagar, devagarinho ela (a China) vai se espalhando, com sua política de conveniência. Sob o ponto de vista político a China é um país comunista, porém sob a perspectiva econômica é capitalista.
Ou não?