Justiça Eleitoral está investigando compra de votos

Denúncia feita gerou diligências da Polícia Federal nessa terça-feira (27)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A juíza eleitoral Carmen Lúcia Santos da Fontoura foi clara, nessa terça-feira (27), ao chamar uma reunião no Tribunal do Júri e explicar que a Justiça não tem o dever de “ensinar” aos candidatos e partidos a lei que disciplina as eleições 2020.

O pronunciamento foi feito horas depois da Polícia Federal realizar diligências em parceria com a Justiça Eleitoral, em uma investigação contra a propaganda irregular e a compra de votos em alguns bairros de Sant’Ana do Livramento. Durante a ação, inúmeras placas foram recolhidas, registros fotográficos e vídeos foram realizados.

Segundo a magistrada, as diligências se deram em virtude de algumas notícias de que candidatos estariam comprando votos. “Nossa intenção hoje foi de orientar principalmente a comunidade carente de que elas não podem vender o seu voto”, afirmou.

Representantes de partidos fizeram ponderações durante a reunião destacando que se sentiram prejudicados com a publicidade da operação. Logo em seguida, a juíza destacou que não se retrataria sobre o assunto e que estava se sentindo desrespeitada com algumas situações que estavam acontecendo em Livramento.

 

 

Bastidores – Edis Elgarte – 05/12/2020

Trânsito garantido Demorou, mas finalmente os usuários da estrada do Passo da Guarda, a RS 183, que liga a BR 293 à faixa de acesso

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies