Livramento na Rota da expansão da geração de energia eólica no RS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Projeto Sant’Ana, que engloba subestações e linhas de transmissão de energia da empresa Taesa na região oeste do Estado, alcança 20% das obras. Cerca de 200 empregos diretos já foram gerados e outros 400 ainda devem ser abertos nesta primeira fase de instalação. Os dados foram apresentados em uma reunião periódica com a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), que segue acompanhando o calendário de execução.

O empreendimento auxiliará o Rio Grande Sul a se consolidar como gerador de energia limpa, que poderá ser escoada pelas linhas e subestações construídas pela Taesa. Com essas obras, será possível destravar uma série de investimentos em geração de energia elétrica, principalmente hídrica e eólica.

“Por meio de ação conjunta, Sema e Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental) alinharam seus cronogramas com os apresentados pelos empreendedores. Obras como essa são incentivos para o desenvolvimento do setor eólico e uma porta de ampliação para energias renováveis no RS”, afirma o secretário adjunto da Sema, Paulo Pereira.

“Com essa união de forças, atuamos com uma gestão inteligente. Dessa forma, valorizamos os projetos que estão mais estruturados e não dispensamos esforços com aqueles que não serão implementados imediatamente”, destaca a presidente da Fepam, Marjorie Kauffmann.

A Taesa foi vencedora do leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em dezembro de 2018, assinando o contrato de concessão em março de 2019. Por meio da abertura de diálogo entre investidores, gestores públicos e equipes do licenciamento da Fepam, foram possíveis as antecipações de investimentos.

“Iniciamos as entregas de importantes obras de infraestrutura no RS. A antecipação é reflexo do monitoramento executado por um grupo de trabalho criado ainda no início do governo para acompanhar projetos estruturantes. É assim que promovemos o desenvolvimento, garantindo a proteção ambiental e fazendo a economia girar”, destaca o secretário Artur Lemos Júnior.

Ao todo, são 591 quilômetros de obras ligadas ao Sistema Interligado Nacional, em um investimento de R$ 610 milhões espalhados pelos municípios de Santana do Livramento, Alegrete, Quaraí, Itaqui, Rosário do Sul, São Gabriel, Santa Maria e Dilermando de Aguiar.

“O projeto respeita o bioma pampa e a agropecuária da região, permitindo o escoamento da energia necessária para desenvolver todo potencial de indústrias, serviços, comércio e agronegócio do Rio Grande do Sul. Ainda planejamos a geração de mais 900 empregos indiretos, sem contar toda matéria-prima que tem sido ofertada pelos empreendedores da região, fortalecendo os negócios locais”, detalha o gerente do projeto, Sérgio de Oliveira Carneiro.

Fonte : Governo do Estado

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies