Martin Scorsese e a forma cinematográfica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Uma pergunta muito importante deve ser feita, levando em consideração quando se pensa sobre um filme: quais foram as escolhas formais de linguagem cinematográfica que o diretor fez para causar o impacto específico no filme? Pode parecer algo muito técnico ou que demande muito estudo para responder, mas não é. Claro que, quanto mais você estuda, mais se interessa pela linguagem cinematográfica e mais assiste filmes, sua sensibilidade vai aumentando ao ponto de fazer com que essa relação seja mais clara. Partindo da intuição e do que você viu no filme, você é capaz de pensar em como foi possível o filme causar o impacto que causou em você, justamente devido às escolhas formais do diretor. Digo isso, para que seja possível um pensamento mais aprofundado sobre cinema e sobre os filmes de maneira geral. É muito comum elogiar um filme pela história, pela fotografia, pela trilha sonora, pelos efeitos visuais, mas isso é meio superficial, já que a obra deve ser analisada pelo seu conjunto e o responsável por criar e coordenar o equilíbrio desse conjunto é o diretor.

The Departed – Os Infiltrados – 2006 – Martin Scorsese

Martin Scorsese. Nascido no dia 17 de novembro de 1942, em Nova York, Estados Unidos. Cineasta, produtor e roteirista de grande sucesso, considerado por muitos um dos melhores diretores do cinema americano de todos os tempos e o maior vivo. Sendo bastante conhecido por retratar filmes da máfia e de grandes personalidades americanas, e por estrelar parcerias com grandes atores como Robert De Niro, Joe Pesci e Leonardo DiCaprio. Apesar de grande reconhecimento mundial e por colecionar premiações, o Oscar o premiou apenas uma vez pelo seu trabalho como diretor.No filme Os Infiltrados em 2007. Em sua filmografia existem excelentes filmes como: Táxi Driver; Touro Indomável; O Rei da Comédia; Os Bons Companheiros; A Última Tentação de Cristo; Cassino; Gangues de Nova York; Ilha do Medo; A Invenção de Hugo Cabret; O Lobo de Wall Street; O Silêncio; O Irlandês.

GoodFellas – Os Bons Companheiros – 1990 – Martin Scorsese

Agora, essas informações sobre Scorsese, uma pesquisa rápida em qualquer site de busca encontra. A minha relação com os filmes desse diretor é bastante intensa. Todos os seus filmes de Scorsese que eu assisti, de alguma forma, eu fui impactado. Isso tem explicação pelas minhas preferências, pois gosto das histórias que ele traz e gosto desse tipo de abordagem, mas a verdade que é só me senti impactado pelos seus filmes porque ele usou a técnica cinematográfica para causar isso. Por mais que minha relação com os seus filmes seja longa e que só a premissa de suas histórias já me interessem, só foi possível criar uma conexão com suas obras a partir da forma como ele abordou seus filmes.

The Irishman – O Irlandês – 2019 – Martin Scorsese

Não parece algo fácil de se pensar, mas é um exercício que vale a pena. Por que gosto do filme de Martin Scorsese?Sem analisar um filme específico, posso dizer, de maneira geral, que a abordagem de Scorsese é objetiva e isso facilita a conexão do espectador. Seus planos são claros e ele nos localiza muito bem nas cenas. A representação da violência, em alguns de seus filmes, é retratada de forma crua, espanta e surpreende. De certa forma, a violência não precisa ser gráfica ou explícita, ela é, por vezes, até bem rápida, fazendo com que o espectador demore a entender o que aconteceu, e isso só é possível pela forma com que ele conduz o filme. São cenas fortes e chocantes e ao mesmo tempo parecem tão banais, apontando uma clara visão de Scorsese sobre a violência. A forma como lida com a atuação e a trilha sonora também é interessante. Parece dar muita liberdade para atuação de seu elenco, seja para uma representação mais contida até uma mais exagerada. A trilha sonora, por outro lado, busca ambientar o espectador e por mais que haja um trabalho belíssimo de trilha sonora em seus filmes, elas não se destacam, mas fazem parte de um equilíbrio muito bem articulado. Essas são razões que me aproximam dos filmes desse diretor e é, na minha visão, a forma como seus filmes são feitos.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies