A amante

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por: Fernando Albrecht

Anos 1970. Presidente de uma entidade empresarial nomeada agendou reunião com um senador da República. Saiu do aeroporto e foi direto para o espaço dos visitantes do Senado Federal. Estava vazio, só ele ocupava uma das cadeiras, esperando que algum assessor o chamasse. Minutos depois, aparece uma mulher jovem e muito bonita, vestindo roupas caras. Olha ao redor e senta na cadeira bem ao lado do empresário. Ficam em silêncio por algum tempo. Quem o quebra é o empresário, intrigado com a jogada.

– Moça, me diga uma coisa. Há dezenas de cadeiras vagas e você vem sentar justo ao meu lado. Pode me dizer o motivo?

A bela garota faz o contorno das orelhas com os dedos bem juntos e jogou os belos e longos cabelos para trás; e em seguida sacudiu-os com a segurança de quem tem certeza do impacto que causa nos homens. Então fala.

– Vou explicar. Eu sou amante de um senador e vim aqui pegar minha mesada. Acontece que o meu benfeitor tem lá seus remorsos e, às vezes, me dá chá de banco, além de me pagar com perna de anão. Só que descobri depois que sua excelência é muito ciumento.

Breve pausa.

– Então, quando ele fica sabendo pelo assessor que estou perto de outro homem, vem correndo rapidinho para entregar meu dinheirinho. Olha, lá vem ele, eu não falei?

De fato, o senador entrou e foi direto rumo à mulher, ignorou o visitante e entregou um envelope gordinho para a bela. Em seguida virou as costas e foi para o gabinete. Ela abriu a bolsa, jogou o envelope dentro e saiu por onde entrara. O empresário ficou sentado tentando processar o que viu e ouviu. Foi chamado em seguida.

Enquanto caminhava rumo ao seu compromisso, chegou à conclusão que não entendia merda nenhuma da natureza humana.

http://fernandoalbrecht.blog.br/a-amante/

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies