Estado registra redução de 50% no número de feminicídios em agosto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Pelo quarto mês consecutivo, o Estado apresentou redução no número de assassinatos de mulheres por motivo de gênero. Enquanto agosto do ano passado contabilizava 8 feminicídios, esse ano o mês que celebra a criação da Lei Maria da Penha registrou 4 vítimas – nenhuma delas contava com Medida Protetiva de Urgência. Num contexto mais amplo, como nos primeiros oito meses do ano, a redução desse índice criminal vai de 63 vítimas em 2019 para 57 em 2020, ou seja, menos 10%.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (11), pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Ainda nesta comparação, outros importantes indicadores criminais para as gaúchas também reduziram – tentativas de assassinato por motivo de gênero passaram de 27 para 26 (-3,7%); ameaças caíram 15,1%, de 3.004 para 2.551; lesões corporais retraíram 6,9%, de 1.460 para 1.359; e estupros reduziram 19,9%, de 156 para 125.

Na soma dos oito meses, feminicídios tentados acumulam queda de 7,8% frente a igual período do ano passado, baixando de 232 para 214 vítimas. Na mesma comparação, também caíram as ameaças, de 24.956 para 21.894 (-12,3%), as lesões corporais, de 13.516 para 12.427 (-9,4%), e os estupros, de 1.085 para 1.077 (-0,7%).

A melhora nos índices é fruto do trabalho árduo dos operadores da Segurança Pública. No mês passado, por exemplo, o governo criou o Comitê Interinstitucional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, que passou a integrar o Programa RS Seguro e hoje é responsável pelo Projeto Agregador, que trabalha em várias frentes na tentativa de conscientizar a sociedade sobre a violência contra a mulher.
Isoladamente, as instituições também fizeram a sua parte.

A Polícia Civil disponibilizou um WhatsApp – (51) 9.8444.0606 – para o recebimento de denúncias em qualquer horário. A Instituição também abriu a possibilidade de registro de boletim de ocorrência de violência doméstica pela Delegacia Online e intensificou, por meio das 23 Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (DEAMs), ações de repressão, como cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão de armas. Também foi priorizada a remessa dos procedimentos graves e de descumprimento de medidas protetivas de urgência (MPU) ao Poder Judiciário.

Outras quedas

Também foi registrada queda de 60% nos latrocínios – de 10 casos em agosto de 2019 para quatro neste ano. O número repete o menor total já registrado para o mês desde 2002, quando teve início a série histórica de contabilização.
Já na comparação de acumulados desde janeiro, a soma de roubos com morte está 15,4% menor neste ano frente ao anterior, com baixa de 52 casos para 44 – o menor para o período desde 2009, quando houve 38 latrocínios.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies