Com demonstração de força da raça, última semifinal ao Freio de Ouro é concluída

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Foram 439 conjuntos nas sete classificatórias do ciclo 2020, duas delas em solo estrangeiro. Apesar das dificuldades impostas pela pandemia, a correta aplicação do Protocolo Sanitário e de Distanciamento Social – produzido pela ABCCC em parceria com a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre – garantiu a realização das atividades de seleção da raça até aqui. A rota do Freio de Ouro encerrou-se neste domingo (30), no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, com 14 conjuntos classificados.

Ao todo, 95 conjuntos inscreveram-se para a Classificatória Aberta, a última semifinal ao Freio de Ouro. A seletiva foi especial para o ginete Daniel Waihrich Marim Teixeira que, além de ter conduzido a líder AM Gaita, nas fêmeas (com 20,369), classificou outros três animais. Nos machos, o primeiro lugar terminou com o colorado douradilho Reservado do Liscano-TE, montado por Ricardo Gigena Wrege, com 20,349.

Clique aqui para acessar a planilha final da Classificatória Aberta

A avaliação foi realizada pelos trios de jurados formados por Daniel Rossato Costa, Gustavo Silveira Rodrigues e Lauro Varela Martins, nas Fêmeas, e Leonardo Rodrigues Teixeira, Rodrigo Albuquerque Py e Telmo Raimundi Ferreira, nos Machos.

Uma líder campeã
O pomposo histórico de AM Gaita foi mais uma vez comprovado na prática. Detentora de um Bocal de Ouro (2017) e um Freio de Ouro FICCC (2018), garantiu a maior média entre as fêmeas da classificatória, com 20,369, conduzida por Daniel Waihrich Marim Teixeira. A égua tostada é filha de PO Uribe e AM Cris, cuja herança genética traz outros grandes exemplares, como La Invernada Hornero, Santa Elba Comediante e Muchacho de Santa Angélica. No total, descende de 15 exemplares presentes no Registro de Mérito.

“É uma égua que todo mundo conhece, é um fenômeno, uma égua diferente funcionalmente. Quando me ofereceram ela, eu tinha acabado de fechar tudo. Foi bem quando começou a quarentena, e eu topei o desafio. Antes comigo do que com outro. Não tenho o que falar, essa égua é excepcional. Na credenciadora, a gente veio pra conhecer com 30 dias de trabalho. Tivemos essa parada [com a quarentena], nos ajudou, nos deu mais tempo. Eu acho que ela correspondeu dentro daquilo que eu gostaria. Acho que tem coisas que podemos ajustar”, celebrou o ginete Daniel Teixeira, a respeito do desempenho de AM Gaita, criada por Ana Maria Bastos Giudice e exposta por Sérgio Augusto Amaral, da Cabanha Sol Brilhante de Frederico Westphalen/RS.

Durante a transmissão ao vivo, o inspetor técnico da ABCCC e comentarista Felipe Caccia Maciel falou a respeito do desempenho de AM Gaita. “Impressiona pela força que trabalha os posteriores e respeita muito a velocidade que o ginete Daniel Teixeira impõe a ela”.

Morfologia e função andam juntas
Reservado do Liscano-TE iniciou a classificatória na primeira colocação, após obter 7,817 de média morfológica. Nas demais etapas funcionais, oscilou entre as primeiras posições, tendo ficado em 6º nas andaduras (17,923) até finalizar a Bayard/Sarmento em 3º (19,497). Foi na última etapa da seletiva, na prova de Campo 2, que alcançou a média mais alta: 20,349, sob o comando de Ricardo Gigena Wrege. O colorado douradilho é filho de Festeiro do Itapororó e Las Misiones Que Guapa, criado por Pietro e Giuliano Pereira Zanetti, e exposto por Pietro Pereira Zanetti, na Fazenda Liscano, em Pelotas/RS. Credenciou-se em Rio Grande/RS, tendo atingido 19,937 naquela ocasião. Em seu histórico há importantes resultados morfológicos, como o de Grande Campeão da Passaporte de Bagé, em 2018.

“É um misto de emoções. Primeiro pelo cavalo: sempre acreditei muito no potencial dele. Viemos ao Bocal e não consegui mostrar o potencial dentro de pista, e saí um pouco frustrado com isso. Então fiquei com esse sentimento e, graças a Deus, agora eu consegui mostrar o quanto ele é bom; segundo, porque sexta-feira foi aniversário de 1 aninho da minha filha e eu não pude estar com ela, e por conta da pandemia ela não pôde vir; terceiro: hoje é aniversário do Pietro, dono do cavalo, então aí vai um presentão pra ele; e quarto, essa é a primeira prova sem a presença física da minha mãe [Stella Gigena Wrege], então isso vai pra ela! Tenho certeza que ela estava aqui o tempo todo comigo. Esse resultado só vem para dar força para todos nós, e seguir em frente, batalhando, porque a gente sabe que ela está com a gente em todos os momentos. Embora a presença física não esteja, ela sempre foi o nosso Esteio, e vai seguir sendo. Só [tenho] a agradecer a ela e a todos que estavam torcendo”, declarou o ginete Ricardo Wrege.

Relembre as etapas da Classificatória Aberta
➡ Classificatória Aberta: etapa morfológica dá início à seletiva
➡ FM Fauna do Cinco Salsos e Dichoso Cala Bassa lideram a Classificatória nesta sexta
➡ Antes da Fase Final da Classificatória Aberta, AM Gaita e Destemido da 3J lideram

A visão do presidente da ABCCC, Francisco Kessler Fleck
“Depois do início da quarentena do novo coronavírus, conseguimos executar as nossas provas com esse protocolo, no qual tivemos o apoio da Santa Casa de Porto Alegre, e estamos muito felizes por poder fazer com que a nossa roda de economia continue girando, com todos os empregos e a geração de renda que temos, neste nosso setor muito importante para manter aqueles que dele dependem”, celebrou o presidente da ABCCC, Francisco Kessler Fleck.

A projeção para a grande final da raça, por Rodrigo Albuquerque Py
“Eu acredito que o nível da final vai ser muito bom, como vem sendo nos outros anos. Apesar de termos um ano diferente em termos de calendário, houve uma série de ajustes, eu acho que todo mundo conseguiu se ajustar e trabalhar dentro disso. Dentro do que foi feito, muito bem administrado pela diretoria da ABCCC com esse protocolo sanitário que vem tendo bom resultado, eu acho que isso vai influenciar de uma forma muito boa nessa final, e a perspectiva é a melhor possível. Eu acredito que vai ser no mesmo nível ou até melhor do que em anos anteriores”, projetou o inspetor técnico da ABCCC e jurado da categoria Machos, Rodrigo Albuquerque Py.

Sem mais delongas: o 39º Freio de Ouro vem a galope!
Após cinco classificatórias nacionais e duas internacionais (Argentina e Uruguai), nas quais foram admitidos 439 animais (227 fêmeas e 212 machos), o 39º Freio de Ouro se aproxima: de 24 a 27 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS – clique aqui para saber mais. Na disputa final serão 96 classificados, além das duas defesas de título.

Todas as atividades seguem o protocolo sanitário e de distanciamento social que estipula, entre outras ações, que o acesso ao Parque de Exposições Assis Brasil durante as atividades é restrito. A entrada é permitida somente às equipes cadastradas previamente, sendo vetado o acesso ao público. O que se estende também para os animais, tendo ingresso livre somente os cavalos que estão listados no Catálogo do evento. A equipe de orientadores salienta que é proibida a entrada de crianças menores de 12 anos.

O ciclo do Freio de Ouro 2020 conta com o patrocínio de Facta, Get Track, Massey Ferguson, Supra e Vetnil – e com o apoio do Lance Rural e Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Além disso, os apoiadores do Kit Cabanha são: Estância Liberdade, Cabanha Santa Fé, Estância Vendramin e Estância Tamanca.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies