Superfaturamento teria proporcionado a suposta propina a Ico, diz MP

Ministério Público Estadual fez um detalhamento da contabilidade disponibilizado pelo Tribunal de Contas do Estado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em ação civil pública protocolada pela promotoria de Sant’Ana do Livramento, o Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul dá detalhes de como e quanto teria sido superfaturado pela Oscip pra desvios de uma suposta propina destinada ao prefeito Ico Charopen (PDT) e o seu grupo político, citado no instrumento processual.

Segundo o promotor Sandro Loureiro Marones, é evidente a existência de uma organização instalada na Prefeitura causando prejuízo ao erário e agindo de forma a atentar os princípios basilares da administração pública com o escopo de fraudar licitações, concurso de projetos, direcionando contratações de vulto em favor de organizações do terceiro setor pertencentes aos integrantes do Núcleo Empresarial, a fim de viabilizar o desvio de verbas públicas, o recebimento de propina, bem como o aparelhamento da máquina pública, mediante a contratação de indivíduos indicados pelo alto escalão do Núcleo Político.

No documento, o MP demonstra o que seriam as inconformidades apuradas pelo Setor de Contabilidade da Secretaria Municipal de Educação de Livramento e pela Equipe de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontaram um prejuízo ao erário municipal. Confira a tabela:

Dos valores pagos das despesas processadas, além do custo com o salário base, encargos trabalhistas, previdenciários, benefícios sociais e provisões de risco sobre os profissionais irregularmente contratados, observa-se a existência de um prejuízo de R$ 3.534.578,16. Porém, se os valores inscritos em Restos a Pagar Processados e Não Processados forem efetuados o prejuízo aumenta para R$ 3.655.913,88. “Os fatos descritos acima violaram, de forma grave, dispositivos legais e os basilares princípios da legalidade e da moralidade”, destaca o promotor.

Contraponto

No início da semana, a assessoria do prefeito Ico, encaminhou uma nota à Redação do Jornal A Plateia sobre o tema. Confira na íntegra:

“O Prefeito Municipal recebeu com perplexidade e surpresa a decisão que gerou o afastamento em uma Ação Civil  Pública promovida pelo Ministério Público. Na realidade a matéria é praticamente a mesma relativamente a contratação de empresa que prestou serviços para a Secretaria de Educação, mas com um argumento que o Governo de ICO Charopen teria descumprido um TAC/acordo com o Ministério Público celebrado em fevereiro de 2020. Entretanto o Prefeito ICO esteve afastado por ordem da 4° Câmara do Tribunal de Justiça do Estado desde o final do ano, sendo reconduzido às suas funções no fim de maio deste ano!  Quem deveria ter cumprido o cronograma e demonstrado ao Ministério Público a realização de etapas até o dia 09/05/2020 foi o Governo interino da Vice-Prefeita Mari Machado, o qual  em face da Pandemia paralisou diversas atividades e não solicitou a prorrogação das etapas. O Prefeito ICO  que não participou desse TAC, retornou ao cargo e nomeou nova Comissão para dar prosseguimento nas atividades,  sendo que o Ministério Público interpretou como se fosse realizar novas contratações de pessoal como ocorrido anteriormente, mas na realidade quem efetivou contratações neste ano foi a Vice-Prefeita Mari Machado. Ademais para o próximo ano não se sabe quem irá efetuar contratações pois este Governo termina no final deste ano. Quanto à decisão da Dra. Juiza da 1° Vara que acolheu e determinou o afastamento do Prefeito até o fim  do julgamento dessa Ação Civil Pública, nos parece totalmente equivocada e flagrantemente ilegítima, a uma porque abusiva, haja vista que a decisão de 2° Grau do Desembargador que reconduziu o Prefeito no fim de maio deste ano ressaltou que a manutenção do afastamento como pretendia o Ministério Público implicaria em ofensa ao  exercício de mandato eletivo, assegurado pela vontade soberana do voto, sendo equivalente a uma cassação de mandato! Ademais, chama a atenção do Prefeito que o afastamento venha a ocorrer às vésperas de período pré-eleitoral, quando se aproximam as convenções partidárias e registro de candidaturas, sendo o mesmo pré candidato à reeleição! Também em pleno período de Pandemia  – Covid-19, onde o Governo Municipal vem adotando uma série de medidas para o enfrentamento do CoronaVirus, o que provoca instabilidade administrativa,  bem como impacto financeiro com as demissões que deverão ocorrer com os cargos em comissão, especialmente ante a comprovada queda de receita   nos cofres públicos! Além disso entende o Prefeito ICO que estão sendo flagrantemente violados princípios constitucionais do Contraditório e da Ampla Defesa, especialmente por já ter ocorrido seu afastamento por longos 05 meses e colhida prova em outro processo com a mesma origem. De outra parte, a decisão do afastamento de Prefeito deve ser decorrente de um Órgão Colegiado/Tribunal, jamais de uma decisão de Juiz de 1° Grau, haja vista que o mesmo possui mandato eletivo por conta da soberania popular. O Prefeito reafirma sua inocência e manifesta sua profunda contrariedade com a mencionada decisão, acreditando no trabalho de seus Advogados para reverter a situação no Tribunal de Justiça, restabelecendo o pleno exercício do seu mandato! Pelas formas com que as coisas tem ocorrido comigo, chego a conclusão de que estou sendo reiteradamente perseguido, com objetivo de me afastarem da disputa eleitoral, o que não vai ocorrer! Por fim quero tranquilizar a população que a decisão que gerou o afastamento será suspensa com o Recurso que estará ingressando nas próximas horas”.
Dr João Luiz Vargas – advogado de Ico

 

Bastidores – Edis Elgarte – 26/09/2020

Olhar acadêmico A comunidade santanense vai poder contar com uma excelente ferramenta de acompanhamento do processo eleitoral que se inicia, regularmente, neste domingo, 17. Sob

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies