Para o Deputado Ernani Polo estímulo à competitividade será diferencial no período pós-pandemia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Presidente da Assembleia Legislativa coordenou seminário sobre o tema, foco da gestão 2020

A Assembleia Legislativa realizou na sexta feira (27), a primeira edição do Seminário da Competitividade. O evento aconteceu de forma virtual e foi transmitido ao vivo pela TV AL, pelo canal da AL no Youtube e página da AL no Facebook.
O seminário contou com a participação do governador Eduardo Leite, do secretário de estado Cláudio Gastal,  pesquisadores, empresários e representantes da sociedade civil.
Na abertura, o presidente Ernani Polo lembrou que o evento estava originalmente programado para ocorrer em 26 de março, mas teve que ser adiado em função da pandemia do novo coronavírus. Quatro meses mais tarde, “o tema entra na pauta de debates do legislativo como ferramenta fundamental para a retomada da economia no período pós-pandemia”, destacou Ernani Polo, que elegeu a competitividade como tema do seu período na gestão da Assembleia em 2020.
O presidente reafirmou a relevância do debate em torno da competitividade neste momento dramático do estado e do país. Ele agradeceu o empenho de lideranças e federações empresariais gaúchas que apoiaram a iniciativa e afirmou que a superação somente será possível através da união de todas as forças. O deputado registrou ainda o uso da simbologia do esquife, pequena e antiga embarcação a remo, para o tema da competitividade. “Os remadores precisam de preparo, força e sincronia para alcançarem juntos o mesmo objetivo”, sintetizando o esforço coletivo e a responsabilidade para a construção de novos negócios e oportunidades de trabalho.
A competitividade é o diferencial em países desenvolvidos e um dos seus desafios é reduzir a burocracia, aumentar a eficiência da máquina pública e simplificar o sistema tributário, considerou Polo. “Torna-se assim um fator determinante para impulsionar uma das características do RS, que é a diversidade da sua matriz produtiva”, definiu. Apesar da força empreendedora gaúcha, as últimas décadas têm registrado recuos em investimentos que, avalia o parlamentar, estão vinculados à excessiva tributação, além de outros fatores.

Para o governador do Estado, Eduardo Leite a competitividade faz parte da agenda do seu governo. “Afinal, ter competitividade é gerar desenvolvimento, empregos, renda, arrecadação para o Estado, que viabiliza a prestação de serviços públicos, e tudo isso, ao fim, melhora a vida das pessoas, que é nosso grande objetivo como governantes”, salientou Leite.

O seminário ainda contou com as participações do Centro de Liderança Pública (CLP), do seu fundador e cientista político Luiz Felipe d’Avila e do Head de Competitividade, José Henrique Nascimento.
Luiz Felipe d´Avila apresentou indicadores da competitividade no Estado e os efeitos da pandemia. No ranking geral da competitividade em 2019, o RS ocupou a sétima posição, duas abaixo em relação ao ano anterior.
“Nós acreditamos nos líderes públicos porque eles têm o poder de mudar o país. Eles são capazes de fazer com que o Brasil seja mais competitivo, mais justo e tenha uma sociedade melhor”, afirmou d’Avila.
Luiz Felipe destacou ainda dois dos 10 pilares avaliados no levantamento do CLP onde o Estado aparece em dois extremos: 27ª posição em Solidez Fiscal e 2ª lugar em Inovação.
O CLP é uma organização sem fins lucrativos para a formação de líderes públicos engajada em promover mudanças transformadoras na política brasileira.

Precisando de uma renda extra?

Todos estão passando por momentos difíceis, devido à pandemia. Vivemos um momento de alta no desemprego em todo o Brasil. Para driblar essa situação, muitos