Gurias – Eis a Questão!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dedico a elas, às gurias, aquelas com mais de 50 anos. Sim, porque do jeito que a coisa vai logo, logo teremos adolescentes de 40 anos e assim por diante. Aliás, eu já conheço alguns bem perto de mim que têm 45 anos com ações e mentalidade de 20 e poucos. Pode? Claro que pode. Basta a gente pensar como tal.
Mas, voltando às gurias, desta vez os guris ficam de fora porque os homens são autossuficientes, sabem tudo e não dependem de ninguém. A não ser naqueles momentos, tipo: ai, estou com febre… ai, estou com dor, ai estou com fome… ai, me ajuda, o que faço nesta situação… enfim, poucas situações … kkkk. Bueno, as gurias com menos de 50 estão fora porque sua geração é outra, já veio atrelada às modernidades. A minha, essa, Deus meu, teve que crescer e adaptar-se à rapidez da evolução, tropeçando aqui, assimilando ali, sendo reticente em algumas coisas, fingindo que aceita em outras, enfim… Não está sendo fácil. Mas, tudo bem, a isto chamamos de resiliência.
Tudo isto para falar da Internet, Informática, Era Digital ou seja qual for o nome. Pobre dos jovens, que já nascem inseridos no meio digital tendo que aguentar esta cambada de “velharada” ultrapassada, mas curiosa, disposta a se modernizar e a acompanhar a evolução seja a que preço for. Até aquela situação de levar os netos (mesmo os postiços/adotados) à loucura. Gente, vocês não têm ideia do que fiz com o Rodrigo Evaldt, meu editor-chefe nas horas comerciais e meu neto adotivo nos momentos civis (posso usar este termo?). Quase o levei à loucura. Precisava colocar minha coluna na internet. Uau! Aí começou a saga: entra no site tal, vira a direita – “Profeee, eu disse à direita” – e a anta postal (aposentada dos correios, daí postal) aqui virava à esquerda. Tá, agora sobe. “Certo” – eu respondia, e agora? Onde está escrito … lá ia eu. Nãoooo – não aí, mais para baixo. “Zezuis, quem ouvia ficava cheio de ponto de interrogação …. kkkk. Pobre criança!!! Mas, resumindo, colocamos a coluna na internet, mais precisamente no Facebook. Por favor, gente, prestigiem, vocês não têm ideia do suador e desgaste para chegar no resultado final. Ah, esqueci. Sem falar que depois que foi publicado o texto, eu, como uma boa revisora (afinal, é esta a minha profissão) ia ler e lá – CREEEDDDOO – um erro!!! Como deixei passar??? Enfim, é assim que a vida funciona. Com altos e baixos, com erros e acertos. Afinal, que graça teria se fosse diferente!!!!

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies