Loteamento Manoela passa por adequação em rede de esgoto para finalizar entrega de casas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Tubulação de esgoto cloacal estava bloqueada por detritos e lixo

Desde março, cerca de 130 famílias já estão desfrutando da tão sonhada casa própria no Loteamento Manoela. O projeto, que iniciou em 2012, foi orçado em R$ 17 milhões de reais, com vários períodos de incertezas, com obras paralisadas e retomadas. Ainda restam aproximadamente 140 famílias que estão aguardando a sua vez de ir para sua tão sonhada casa própria, que não se mudaram ainda por problemas no esgoto cloacal de uma parte do loteamento que devido a uma série de fatores estava bloqueado com pedras, terra e lixo.

A obstrução da rede de esgoto foi identificada pelo Departamento de Água e Esgotos (DAE), que não liberou parecer positivo por este problema, com este impasse, a solução da construtora foi contratar uma empresa de desentupimento de Porto Alegre para realizar a limpeza e após este processo será verificado novamente pelo DAE para o seu parecer positivo e assim dar prosseguimento para a liberação do Habite-se, que é o ato administrativo emanado de autoridade competente que autoriza o início da utilização efetiva de construções ou edificações destinadas à habitação.

O vereador Leandro Ferreira (PT), um dos principais articuladores do projeto, conta que falta pouco para mais 140 famílias estarem nos seus lares. “Foi providenciado por parte da construtora responsável pelo empreendimento a contratação de um caminhão desentupidor equipado com ferramentas adequadas para fazer limpeza das tubulações.Felizmente o trabalho está andando bem,o DAE auxiliou com a verificação e está dando suporte ao empreendimento.Após a manutenção, irão fazer a vistoria em toda a rede para depois informarem seu parecer. Esperamos que positivo, para que, na sequência, a gente possa providenciar a documentação demais 140 famílias que aguardam aí a liberação. Infelizmente, foram encontrados ao longo das tubulações garrafas, pedras e demais materiais sólidos que impedem a passagem do esgoto até a estação de tratamento”, explicou o vereador.

A moradora Rosângela Rodrigues diz estar aguardando ansiosamente pelo seu imóvel. “Esperamos há quase 10 anos. Descobrimos o problema dia 6 de maio, após uma conversa com o Secretário de Planejamento. A partir daí, com a interferência da prefeita, as coisas começaram a se resolver. A primeira resposta foi que o DAE apontou uma obstrução na rede de esgoto, mas não tinham equipamento necessário para resolver. Já na reunião de segunda (18), a empresa se comprometeu trazer o equipamento de Porto Alegre, o que já está acontecendo durante esta semana no loteamento. Vejo mais próximo a entrega das casas, pois a empresa se comprometeu a resolver os problemas, o primeiro é o esgoto e o outro são os documentos com a Prefeitura. Se tudo for feito conforme o que a empresa acordou com os moradores, logo estaremos em nossas casas”, conta.