Idosa é vítima de estupro na Simon Bolivar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Brigada Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados para prestar socorro à uma idosa de 63 anos que apresentava um ferimento na cabeça no bairro Simon Bolivar. Ao chegar no local, por volta das 20h30 deste domingo (24), as autoridades encontraram a mulher nua e com um sangramento na região da cabeça. Após receber os primeiros atendimentos ainda em sua residência, a idosa foi levada até à Santa Casa de Misericórdia.

A partir deste momento as autoridades policiais deram início às diligências para apurar os fatos. Em meio a esse trabalho, a vítima, após uma breve hesitação, revelou aos policiais que havia sido vítima de um estupro. De acordo com o depoimento da idosa, o seu namorado propôs que os dois tivessem uma relação sexual, porém, com a negativa da vítima o homem teria dado início às agressões.

Ainda segundo a vítima, o casal discutiu e, em meio ao desentendimento, o homem a agrediu com uma garrafada na cabeça. Posteriormente, o indivíduo teria violado a vítima, que já estava com uma hemorragia por conta do golpe. Após a ação, o acusado ainda teria subtraído alguns pertences e uma quantia em dinheiro da idosa antes de deixar o local.

Na Santa Casa, a reportagem do jornal A Plateia conversou com os familiares da vitima, responsáveis por acionar as autoridades. A sobrinha da idosa relatou que esta era a segunda vez que ela era vítima de estupro nesta semana, isso porque na última segunda-feira (18) o mesmo indivíduo também teria forçado a idosa a manter relações sexuais com ele.

Os familiares trouxeram a mulher até a Santa Casa, onde ela recebeu atendimento médico, mas não quis realizar o registro da ocorrência por sentir vergonha de ter sido estuprada. Entretanto, hoje, onde foi vítima pela segunda vez, a idosa e seus familiares foram à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) para realizar o registro da ocorrência.

Desta forma, após dar o seu depoimento às autoridades policias, a Brigada Militar foi até o endereço do homem e o conduziu até à DPPA, onde ele deve prestar esclarecimentos sobre os dois casos. Caso a autoridade policial de plantão decidir, entenda que ele é o responsável, o homem deve ser preso em flagrante por estupro.

Ampliaremos.

 

Texto: Murilo Alves

Foto: João Vitor Montoli/AP (Foto ilustrativa)