REGIÃO DA FRONTEIRA PASSA PARA BANDEIRA LARANJA EM NOVA ATUALIZAÇÃO DO “DISTANCIAMENTO CONTROLADO” NO RS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Classificação das regiões de acordo foi atualizada pelo governo do Estado neste sábado (16/5). Entre os dias 18 e 24 de maio, não há regiões na bandeira vermelha ou preta

A classificação das regiões de acordo com as bandeiras determinadas pelo Distanciamento Controlado foi atualizada pelo governo do Estado neste sábado (16/5). Entre os dias 18 e 24 de maio, não há regiões na bandeira vermelha ou preta. A região de Lajeado, que estava na bandeira vermelha, passou para a laranja, e a região de Uruguaiana, que estava classificada como amarela, passa para a bandeira laranja. Para consultar o mapa e a bandeira de cada cidade, acesse o site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.

No caso de Uruguaiana, que subiu de amarela para laranja, o fator predominante para a alteração foi o acréscimo de quatro casos confirmados pelo teste RT-PCR nos últimos 14 dias. Na semana passada, a soma das últimas duas semanas era de três casos confirmados por RT-PCR, número que aumentou para sete nos últimos 14 dias. Essa velocidade de crescimento justifica a alteração de bandeira na região de Uruguaiana.

NO RIO GRANDE DO SUL COMO UM TODO, A SEGUNDA RODADA DO MODELO DE DISTANCIAMENTO CONTROLADO OBSERVOU AS SEGUINTES ALTERAÇÕES NAS DUAS SEMANAS

• número de casos confirmados por RT-PCR reduziu 6,08%, de 444 para 417;
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) reduziu em 1,75%, de 229 para 225;
• número de internados em leitos clínicos por Covid-19 aumentou 22,70%, de 141 para 173;
• número de internados em leitos UTI por Covid-19 aumentou 2,38%, de 126 para 129;
• número de leitos de UTI adulto disponíveis para atender Covid-19 diminuiu 5,48%;
• número de óbitos por Covid-19 diminuiu 6,25%, de 32 para 30.

Baseado na segmentação regional e setorial, o Distanciamento Controlado é o resultado de semanas de trabalho da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) e da Secretaria da Saúde (SES), com base em evidências científicas e análise de dados. O modelo, inovador e inédito no Brasil, prevê quatro níveis de restrições, representados por bandeiras nas cores amarela, laranja, vermelha e preta, que variam conforme a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada uma das 20 regiões pré-determinadas.

Além da divisão em 20 regiões, o modelo também reúne as atividades econômicas em 12 grupos, sendo que cada um é dividido em tipos e subtipos. Por exemplo, “Serviços” tem 14 tipos diferentes, entre os quais “artes, cultura, esportes e lazer”, que está subdividido em quatro subtipos: “casas noturnas, bares e pubs”; “eventos, teatros, cinemas”; “academias”; e “clubes sociais e esportivos”. Há regras específicas para mais de cem atividades econômicas.

A primeira análise de dados, que cruza as informações a respeito da propagação do coronavírus (velocidade do avanço, estágio da evolução e incidência de novos casos sobre a população) com a capacidade de atendimento hospitalar (capacidade de atendimento e mudança da capacidade de atendimento), foi divulgada no sábado passado (9/5), com regras válidas até este domingo (17/5). A partir de segunda-feira (18/5) e até o próximo domingo (24/5), passam a valer as bandeiras divulgadas neste sábado (16/5).

Além de evitar a propagação do coronavírus, diminuindo a intensidade da procura por internações hospitalares, o Distanciamento Controlado prevê a mitigação dos efeitos econômicos da pandemia, uma vez que as restrições de circulação impostas à população trouxeram consequências negativas ao comércio.

DE MODO SIMPLIFICADO, AS CORES TÊM AS SEGUINTES INDICAÇÕES

AMARELA – risco baixo.
A região se encontra com alta capacidade do sistema de saúde e baixa propagação da doença.

LARANJA – risco médio.
Significa que a região está com um dos dois cenários: média capacidade do sistema de saúde e baixa propagação do vírus ou alta capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus.