A POLÊMICA REGINA DUARTE COMANDANDO A EDUCAÇÃO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Nossa vida é regada à esperança, pois, sem ela o que seria de nós, pobres e ínfimos mortais. Quantos governos passaram, nestes últimos 60 anos, cada qual arvorado da certeza de seus conhecimentos, mudando, fazendo adaptações, às vezes, totalmente fora da nossa realidade, copiando do estrangeiro sistemas educacionais, muitas vezes até desconstruindo o que já foi construído com muito sacrifício, misturando política com cultura. Sabemos que sem a política não existe Estado, e sem a cultura essa política nos escra- viza.

Todos os governos pretendem acertar. Todos têm a boa (?) intenção de melhorar nosso ensino, mas, infelizmente, essa boa intenção só vai mostrar a que veio anos depois e com resultados funestos: como, por exemplo, alunos não poderem ser avaliados através do sistema de notas e não podendo ser reprovados. É claro que não podemos mensurar a quantidade de informação absorvida pelo aluno, não tem como, é algo subjetivo, porém, de alguma forma necessitamos de um parâmetro para que essa carga de conhecimento e informação seja avaliada. Nosso Presidente convidou a atriz Regina Duarte para encabeçar a pasta da Cultura. Sua escolha causou e ainda causa muita polêmica. Mulher da velha-guarda, com pensamentos considerados conservadores, a atriz, até agora, só representou papéis em novelas, mas, já viveu na pele o que é ser mãe nos dias de hoje (vide texto, circulando na internet, onde responde à cantora Zélia Duncan).

O que não a impede de ser e ter uma visão equilibrada sobre a educação. Como eu disse no começo do texto, somos regados à esperança, e aqui de baixo, só nos resta torcer e esperar que tudo dê certo, independente da nossa ideologia política, afinal, antes de sermos deste ou daquele partido, antes de sermos brasileiros, antes de sermos pais, somos pessoas, batalhamos, de maneira pacífica, com as armas que temos para tirar nosso país da ignorância, da pobreza e torcer para que ela (a Regina) se dê mal seria não só burrice, mas de uma extrema ignorância porque nossos filhos e netos é que serão penalizados.