Protocolado na Câmara de Vereadores o pedido de cassação de Ico Charopen

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Pedido foi entregue na secretaria da Câmara de Vereadores

Um grupo de pessoas entregou, nesta quinta-feira (9), um pedido formal de cassação do prefeito, atualmente afastado, Ico Charopen. O grupo de “Bolsonarianos” como se autodenominam, apresentou na secretaria da Câmara Municipal de Vereadores um pedido formal de cassação.

Ico está afastado desde o dia 27 de dezembro de 2019. A investigação que o afastou trouxe fortes evidências da existência, no âmbito Municipal, de uma verdadeira organização criminosa que atuou intensamente no sentido de fraudar e direcionar, tanto a contratação direta, deixando evidente que foi apenas um artifício utilizado pela Administração Municipal para justificar e realizar uma dispensa ilegal, fraudulenta e direcionada para, ilegalmente, intermediar a contratação de professores e pessoal de apoio para as escolas da rede pública municipal de ensino, o que causou prejuízo financeiro aos cofres públicos e à comunidade escolar, dada a descontinuidade do processo de ensino no Município. A investigação também revelou que o Chefe do Executivo, além de ter pleno conhecimento das ilegalidades acerca da contratação, utilizava seus assessores e parte de seu secretariado para agirem em benefício de interesses particulares, valendo-se de coação a funcionários para que fossem destinados recursos públicos à OSCIP.

O grupo de pessoas que realizou a entrega do arquivo utilizou como base do pedido a decisão tomada pelo juiz federal Lademiro Dors, pois o município não compareceu na audiência de conciliação, audiência esta, que resultou em uma multa de mais de R$ 4 milhões para o município.

Airton Costa Leites, integrante do grupo que protocolou o pedido, concedeu entrevista: “Estamos exercendo nosso dever como cidadão, o documento é endereçado ao presidente da Câmara de Vereadores, Romário Paz, para que seja lida essa denúncia que entregamos à secretaria. A mídia está expondo grandes irregularidades deste governo e nós, vendo estes problemas, acionamos o Poder Legislativo para que seja realizada a leitura e debate do processo de cassação do prefeito afastado”, conta.

No facebook do Jornal A Plateia foi realizado uma enquete para saber o que a população pensa, se é a Favor ou Contra o processo de cassação de Ico Charopen, confira o resultado:
O número de pessoas que votaram foi de, aproximadamente 3.400, no qual 2.900 votos foram a favor e 512 contra, o que em porcentagem significa: 85% a favor e 15% contra a cassação.

O pedido de cassação tem como base o Decreto Lei 201/67 que diz:
Art. 1º São crimes de responsabilidade dos Prefeitos Municipal, sujeitos ao julgamento do Poder Judiciário, independentemente do pronunciamento da Câmara dos Vereadores:
I – apropriar-se de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio;
Il – utilizar-se, indevidamente, em proveito próprio ou alheio, de bens, rendas ou serviços públicos;
Ill – desviar, ou aplicar indevidamente, rendas ou verbas públicas;
IV – empregar subvenções, auxílios, empréstimos ou recursos de qualquer natureza, em desacordo com os planos ou programas a que se destinam;
V – ordenar ou efetuar despesas não autorizadas por lei, ou realizá-Ias em desacordo com as normas financeiras pertinentes;
VI – deixar de prestar contas anuais da administração financeira do Município a Câmara de Vereadores, ou ao órgão que a Constituição do Estado indicar, nos prazos e condições estabelecidos;
VII – Deixar de prestar contas, no devido tempo, ao órgão competente, da aplicação de recursos, empréstimos subvenções ou auxílios internos ou externos, recebidos a qualquer titulo;
VIII – Contrair empréstimo, emitir apólices, ou obrigar o Município por títulos de crédito, sem autorização da Câmara, ou em desacordo com a lei;
IX – Conceder empréstimo, auxílios ou subvenções sem autorização da Câmara, ou em desacordo com a lei;
Dentre outros artigos do Decreto 201/67.

João Victor Montoli | Joao@jornalaplateia.com

A amante

Por: Fernando Albrecht Anos 1970. Presidente de uma entidade empresarial nomeada agendou reunião com um senador da República. Saiu do aeroporto e foi direto para

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies