Possível desvio de mais de 2 milhões da Santa Casa “O que foi feito beira atos criminosos “diz secretário da saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Participação no Programa Conversa de Fim de Tarde/Foto : Marcelo Pinto

Na tarde desta quarta-feira(8) o secretário de saúde Sergio Aragon, que recentemente assumiu a gestão da Santa Casa de Misericórdia de forma interina, fez revelações bombásticas durante entrevista ao programa Boa Tarde Cidade da Rádio Rcc FM sobre a administração do instituto “Salva Saúde” que vinha gerindo os recursos do hospital. Segundo ele cerca de 2 milhões 178 mil reais que não eram do município, e sim recursos federais, foram parar nas contas do instituto de forma indevida e completamente duvidosa.

“Esses recursos foram transferidos pelo município para a Santa Casa, e posteriormente transferidos a título de fundo de reserva para a conta privada do instituto que aplicou num fundo e fez uma prestação de contas muito discutível de cerca de 1 milhão de reais e ainda teria em suas contas particulares , recursos que não são deles em torno de 1 milhão e 200 mil reais” revelou.

Segundo o secretário, esses recursos foram repassados de forma irregular e contra a vontade do Conselho Municipal de Saúde além de ser negado pela justiça e com parecer contrários do controle interno. “Isso foi feito a força. Contra todos esses pereceres técnicos. Esses recursos saíram das contas do município e foram repassados para o instituto , e dizem eles ( Salva Saúde) , que aplicadas em um fundo , porque não há comprovação nenhuma desse rendimento . Eles trouxeram a prestação de contas que está no balancete de em torno de um milhão de reais e estaria de posse do instituto nessa conta privada, 1 milhão e 200 mil reais. E em reunião realizada em frente aos funcionários da Santa Casa o antigo administrador disse que não vai devolver esse recurso, que só via judicial. – Eu perguntei a ele (administrador) se ele tinha investido algum centavo de seus recursos próprios na Santa Casa e ele me afirmou que nenhum centavo do instituto foi repassado ao hospital.  Então como pode isso. Se ele não repassou nenhum recurso seu e ainda se apropriou de recursos que eram da Santa Casa e não vai devolver, isso é caso de polícia. Porque é um caso de má administração do recurso público e um improbidade gravíssima.”

Segundo Aragon a procuradoria do município assim que tomou conhecimento dos fatos levou o caso a conhecimento do ministério público federal e da Polícia Federal. “Hoje mesmo nós levamos essa informação até a Polícia Federal, com o comprovante das transferências. Porque eu não consigo ver essa situação e achar que agiram de boa-fé. Como é que é que tu vai passar recurso público pra um fundo privado e este mesmo fundo não retornar em recursos para onde ele deveria ser aplicado. Enquanto tem esses 2 milhões e 200 mil reais nesse fundo, nós temos dividas de 820 mil reais com médicos, mais de 1 milhão e pouco com os servidores incluindo o décimo terceiro, quase 3 milhões para fornecedores. Tudo isso traz um prejuízo enorme para a Santa Casa. Por isso nós vamos tomar todas as providencias cabíveis para tentar reaver esses recurso” encerrou.

Nova gestão da Santa Casa

A Prefeitura Municipal, através da Prefeita Mari Machado, vem por meio desta, informar à comunidade que a partir desta terça-feira (6), a gestão da Santa Casa de Misericórdia fica a cargo do Secretário Municipal de Saúde, Sergio Aragon.

Nesta terça-feira (6), uma reunião entre a Prefeita e o diretor do Instituto Salva Saúde, Jan Christoph Lima da Silva, ampliaria os números do Hospital, com a apresentação dos extratos bancários do Instituto e os valores repassados para a instituição. No entanto, o Diretor não compareceu ao encontro, tampouco informou os dados solicitados.

Medidas judiciais serão adotadas com o fim de garantir a transparência dos recursos repassados pelo Poder Público ao Instituto Salva Saúde. O contrato com o Instituto foi encerrado no fim de novembro. O Instituto Salva Saúde continuava fazendo a gestão do hospital após apresentar-se na chamada pública aberta no fim do ano. No entanto, não foi localizada pela atual gestão a contratualização após a referida chamada pública.

A prefeita Mari Machado irá honrar o pagamento do 13º salário dos servidores, bem como pagará a dívida existente de R$ 820 mil com o corpo clínico da Santa Casa, de forma parcelada em acordo estabelecido com os médicos.