A estratégia que o Athletico-PR prepara para a decisão contra o Inter no Beira-Rio

Cristian Toledo, cronista da RPC, do Sportv e editor de esportes do jornal Tribuna do Paraná, garante que Athletico-PR não terá postura defensiva

A pergunta martela até mesmo na cabeça de Odair Hellmann: de que forma o Athletico-PR lidará com a pressão no Beira-Rio e como administrará a vantagem de 1 a 0 construída na Arena. Aos colorados, uma resposta já imediata: não imaginem o time de Tiago Nunes com a postura defensiva adotada pelo Inter fora de casa. Quem garante é o comentarista da RPC, a afiliada da rede Globo no Paraná, e do Sportv, Cristian Toledo. Confira:

Qual será a postura do Athletico-PR aqui no Beira-Rio?
O Athletico já aprendeu que não vai conseguir conquistar o título só se defendendo. Deu errado contra o Grêmio, aí na Arena, contra o River Plate, na decisão da Recopa, e contra o Boca, na Libertadores. Acho que o time está com a lição feita. Quando tiver com a posse de bola, o Athletico vai jogar. Claro, com um passo atrás em relação à postura de quarta (11).

Pode-se esperar uma postura defensiva desse time do Athletico, mesmo com o DNA ofensivo que tem?
Este é um time que se projeta, naturalmente à frente. É difícil construir estratégia puramente defensiva com esses jogadores. O que o Athletico vai tentar é se proteger bem. O Rony e o Nikão vão voltar mais, não fizeram isso na Arena da Baixada porque o Inter não saiu tanto assim de trás. O meio-campo será mais forte também, com o Cittadini fechando mais. A entrada dele permitiu que o Bruno Guimarães jogasse mais, o segredo da mudança na equipe é esse. Com o Lucho ou o Nikão como meia, ele precisava recompor mais. Agora, ele ajuda na marcação, mas sai mais para o jogo, o que pode criar espaços (na defesa do Inter), que não foram criados no jogo da Arena do Grêmio.

Ao final da partida em Curitiba, nos pareceu que a torcida do Inter comemorou mais o 1 a 0 do que a do Athletico. Ficou o sentimento entre os atleticanos de que foi pouco?
Não. A sensação que ficou é de que dá e de que poderia ter sido mais, com aquela bola do Rony, defendida pelo Marcelo Lomba. O que se conversa aqui é que se trata de vantagem. É pequena, teoricamente, mas é uma vantagem. Quem tem dois resultados para sair campeão é o Athletico, não é o Inter.

Fonte GauchaZH

Grupo Aplateia