Prontos para servir – 2º RPMon realiza formatura do Curso Básico de formação para Policial Militar

A solenidade aconteceu na tarde dessa sextafeira (9) e contou com a presença de diversas autoridades civis, militares e familiares

Na tarde desta sexta-feira (9), nem a chuva torrencial que caiu na fronteira impediu a solenidade de formatura do Curso Básico de Formação de Policial Militar (CBFPM/2019) onde 30 novos soldados ingressaram nas fileiras da gloriosa Brigada Militar. A formatura aconteceu no Ginásio do Esporte Clube Irajá devido
ao mau tempo. A solenidade contou com a presença de diversas autoridades civis e militares entre elas: Cel QOEM Marcus Vinicius Sousa Dutra, Chefe do Estado Maior, o Coronel Pedro Ricardo Marom Burgel, Comandante do CRPO–FO, o Tenente Coronel Clademir Barbosa Otero, Comandante do 2º RPMon, amigos e
Cel QOEM Marcus Vinicius Sousa Dutra, Chefe do Estado Maior (Foto: Matias Moura/AP)A solenidade aconteceu na tarde dessa sextafeira (9) e contou com a presença de diversas autoridades civis, militares e familiares

Prontos para servir – 2º RPMon realiza formatura do Curso Básico de formação para Policial Militar
familiares.

Na região que compreende o Comando Regional da Fronteira Oeste, 90 alunos foram distribuídos em três turmas para as cidades de Uruguaiana, Sant’Ana do Livramento e Bagé. Aqui no município, os recrutas iniciaram a semana zero no dia 13 de novembro, sob a supervisão do 2º RPMon enquanto a parte operacional ficou a cargo do Capitão Dalcol e demais policiais do regimento
que atuaram também como instrutores. Durante os últimos nove meses, o 2º Regimento de Polícia Montada de Livramento
foi à casa dos novos formandos. Neste período, os concursados frequentaram mais de 1,6 mil horas-aula, em que aprenderam sobre co
nhecimentos específicos da atividade de policial militar, como Direito Penal, Sociologia da Violência, uso da força e da arma de fogo, Defesa Pessoal, Medicina Legal e Policiamento Ostensivo, entre outros temas. Para concluir o curso, durante os últimos dois meses, fizeram o estágio supervisionado, atuando no poli
ciamento das ruas e participando de várias atividades como barreiras, abordagens e revista a veículos e pedestres. Recentemente, os alunos do Curso de Policial Militar auxiliaram, também, na recaptura de um apenado que fugiu da Penitenciária Estadual de Sant’Ana do Livramento. Um dos novos soldados que se formou nesta sexta-feira, em Livramento, é Leonardo Sotero Rodrigues, 26 anos, oriundo das Forças Armadas onde serviu durante 6 seis anos e que sempre foi um apaixonado pela carreira militar. Ele diz que optou pela profissão pela honra de poder servir a comunidade. “Sempre me afeiçoei com o espírito militar, com o espírito de corpo e camaradagem e vejo na Brigada Militar a mesma importância e o mesmo caminho do Exército, essa é uma
profissão tão nobre quanto servir a pátria” conta. Com dois tios que atuam na área da segurança pública ele comenta que nunca pensou desistir do seu sonho, que era servir uma causa maior. Tenho dois tios na polícia, um na Polícia Rodoviária Federal e outro na Brigada Militar. Então, a formatura deste curso, na verdade, é a conclusão de um ciclo e a realização de um sonho, e o início de outro que é galgar na carreira e chegar aos mais altos postos dessa carreira. Posso definir este curso em duas palavras: união e superação”, disse. Já, João Batista Nunes, 25 anos, natural de Livramento, diz que foi durante o serviço militar temporário que ele teve a certeza de que queria seguir nesta carreira. De poucas palavras e fortes convicções, ele destaca que o que mais chama a sua atenção na vida do policial é poder servir as pessoas. “Isso foi fundamental na minha decisão, a possibilidade de ajudar o próximo por meio do meu trabalho. Sou o primeiro Brigadiano da minha família e por isso vou fazer de tudo para mantê-los orgulhosos. O curso foi muito
importante para mim por causa da convivência com os colegas, e a cada dia a gente pode aprender coisas novas com os nossos instrutores. Espero agora nas ruas poder exercer a minha função o melhor possível e trabalhar em prol da comunidade. Apesar do medo e receio dos pais pela profissão de risco, Francieli Leal dos Santos, 27 anos, natural de Rosário do Sul, conta que sempre admirou a carreia militar pela valorização da disciplina e a hierarquia. “Sempre me chamou muito a atenção esta carreira. Depois de formada, pretendo fazer o meu melhor na rua, ajudar a
comunidade e cumprir com o juramento que nós fizemos, se for necessário darei minha própria vida para o bem de todos e procurar ascender nessa profissão. Quando meus pais ficaram sabendo que eu passei na prova da Brigada tiveram um pouco de medo, mas agora estão bastante orgulhosos. Por isso, agradeço a eles: obrigado pelo apoio e dedico tudo isso a vocês” Depois de formados, os novos PMs irão aguardar a definição do Governo do Estado que deverá fazer a distribuição dos 1.965 novos policiais que estão se formando.

Grupo Aplateia