Programa de Controle Populacional de Caninos já castrou mais de 70 fêmeas

Segundo Marcelo Apoitia, um dos idealizadores do projeto, a meta para a primeira etapa é de 100 animais. Saiba como funcionam os agendamentos

 

Iniciado no final do mês de julho, o Programa de Controle Populacional de Caninos por Esterilização Cirúrgica, da Prefeitura Municipal, já realizou a castração de 70 fêmeas entre animais domésticos e de rua. A meta para a primeira etapa do projeto são 100 animais. O objetivo do programa é evitar o crescimento populacional desenfreado de cães, sejam eles domésticos ou animais que andam soltos pelas ruas do município.

 

Os idealizadores do projeto são o veterinário da Secretaria Municipal de Agricultura (SMAPA), Leonardo Oliveira e o técnico em agroindústria, Marcelo Apoitia. O programa é promovido pela SMAPA e é uma iniciativa inédita em nosso município que tem por objetivo alcançar a meta no prazo de 60 dias, contando com a parceria da Clínica Veterinária Arca de Noé onde as cirurgias são realizadas.

 

Os animais são submetidos ao processo cirúrgico de histerectomia, após jejum de 24 horas, depois, permanecem pelo período de 10 dias, albergados junto aos voluntários, recebendo os cuidados do pós-operatório. Uma equipe da Prefeitura é responsável por realizar a identificação e recolhimento dos cães de rua, enquanto os proprietários de animais domésticos precisam realizar um cadastramento junto ao Departamento Técnico da Agricultura, pelo telefone 3968-1123. O contato serve também para tirar dúvidas e obter mais informações referentes ao programa.

 

Todas as 100 vagas para a primeira etapa do programa já foram preenchidas, e já existe inclusive mais de 80 pedidos em lista de espera. “A castração funciona da seguinte maneira: os animais chegam ali na clínica, tomam um banho e fazem toda a higienização, depois vão para a sala de cirurgia com tudo esterilizado, depois que o procedimento termina eles ficam de repouso para recuperação. Hoje, estão sendo castrados cerca de 10 animais por dia. Depois que eles estão recuperados nós vamos lá, com um veículo da Prefeitura, pegamos os animais e fazemos a entrega a domicilio para os proprietários ou para os cuidadores voluntários que assinam um termo de compromisso porque eles irão cuidar desse animal durante 10 dias, que é o tempo de recuperação. Depois desse período, nós retornamos para a retirada dos pontos dos animais”, contou Marcelo Apoitia. 

 

O governo municipal ainda estuda uma segunda fase da ação, que poderá contar com o Castra Móvel (um ônibus que se deslocará pelo Município realizando as cirurgias) ou a implementação de uma sala cirúrgica específica para este fim.

 

 

Grupo Aplateia