Moradores da rua Raul Paixão pedem socorro

A reportagem do Jornal A Plateia esteve no local e conversou com alguns moradores que enfrentam dois graves problemas. Uma erosão em um sanga e alagamentos constantes por falta de escoamento em via pública

A chuva que caiu na fronteira, nesta semana, ultrapassou a marca dos 170mm em algumas localidades da zona rural do munícipio proporcionando assim vários transtornos a seus moradores. Mas não foi só na campanha que problemas foram registrados com esta grande precipitação, em alguns bairros da cidade eles também apareceram.

Como é o caso da rua Raul Paixão, no bairro Prado, onde parte dos moradores enfrentam o risco de desmoronamento da encosta de um córrego, enquanto em outro lado é o alagamento constante da rua que traz dor de cabeça para os moradores. A reportagem do Jornal A Plateia foi conferir a situação de perto durante um dia de chuva e o resultado foi ver pessoas precisando passar com água pelas canelas em determinados locais e risco iminente de desmoronamento da rua.

O Secretário de Obras do Município, Ricardo Dutra, explica que a situação da erosão na localidade já vem sendo monitorada há várias semanas e que parte está dentro de um terreno particular e outra na rua. “O que for na rua a gente vai desobstruir e fazer os reparos. Já no terreno particular não podemos intervir. Essa questão está na nossa programação e a gente mantém um contato e um diálogo aberto com os moradores e pessoal ali do bairro. Existe, inclusive, um pedido do Ministério Público e esse problema está bem monitorado e a rua não está interrompida. Nós estamos atuando em outras obras mais emergenciais, mas, ela já está em nosso cronograma” disse.

Já a moradora Deisi Charão reclama que próximo a sua casa o problema são os alagamentos constantes. Segundo ela, em dias de chuva forte a rua fica totalmente intransitável e alguns moradores têm as suas casas alagadas. “Aqui a situação é bastante complicada. Toda a vez que chove é isso aí. A rua fica cheia, não dá para passar a pé. O problema é que não tem escoamento, um bueiro, por exemplo, já resolvia. É complicado. Teve dias que a gente precisou ajudar os vizinhos a tirar as coisas de casa porque encheu tudo. Queremos uma solução para isso”, encerrou.

O trecho com problema de alagamento fica localizado entre as ruas Alcides Martinez com a Casturino Simão.

Grupo Aplateia