Casos de latrocínio reduzem 31% no 1º semestre de 2019 no RS; dados de violência contra a mulher também caem

Comparação é com o mesmo período do ano passado. Dados foram divulgados nesta terça-feira (9) pela Secretaria Estadual de Segurança Pública.

O número de latrocínios, roubo seguido de morte, no Rio Grande do Sul, caiu 31,4% no primeiro semestre de 2019, em relação com o mesmo período do ano passado. Além disso, outros crimes também tiveram diminuição, como casos de violência contra a mulher (veja abaixo), homicídios, furtos, roubos e abigeato. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (9) pela Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Foram registrados 35 latrocínios entre janeiro e junho deste ano, número que fica acima apenas do registrado em 2009, com 29 casos.

Um dos casos de maior repercussão nos últimos meses no estado foi o latrocínio em uma relojoaria de Estância Velha, em abril. Pai e filho foram mortos a tiros depois que dois homens entraram no estabelecimento armados e anunciaram o assalto. Cinco pessoas foram denunciadas pelo crime.

Os dados de homicídio também tiveram queda, de 21,5%, neste primeiro semestre. Foram 885 registros em 2019 contra 1.128 em 2018. Já o número de vítimas deste tipo de crime reduziu 24%.

“Os resultados mostram que estamos consolidando a reversão da criminalidade, em especial a marca de voltar a ficar abaixo de mil homicídios no semestre. Embora não nos deixem satisfeitos, pois ainda temos o que melhorar, os dados mostram que estamos no caminho certo”, disse o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.

Pela primeira vez depois de nove anos, segundo os dados do governo, o estado voltou a encerrar o primeiro semestre com menos de mil assassinatos – a última ocasião havia sido em 2011, com 870 vítimas.

Também nos seis primeiros meses de 2019, foram registrados 34.080 casos de roubo, o que representa uma diminuição de 9,2% em comparação com o ano passado. O mesmo ocorreu com os números de furto. A diminuição foi de 14,9%.

Roubos de veículos também tiveram queda representativa, de 31,3%. Em 2019, foram 6.023 casos contra 8.778 em 2018.

Os únicos dados que apresentaram aumento no período foram estelionato (0,4%), tráfico de drogas (5,2%), e ocorrências contra usuários de transporte coletivo (4%).

Mês a mês

Na comparação entre os meses de junho de 2018 e de 2019, todos os índices apresentam queda, com exceção do furto a banco, com aumento de +75%. Foram quatro registros no ano passado contra sete neste ano.

Já na comparação entre maio e junho de 2019, o crime de latrocínio teve um aumento. Foram quatro casos contra cinco (25%).

Outros índices aumentaram neste tipo de comparação, como de vítimas de homicídio, que eram 140 em maio e, em junho, foram 152 (8,5%), e homicídio doloso, com 131 casos em maio e 137 em junho (4,5%). Nesse mesmo período, os furtos a banco cresceram 16% (de 6 para 7).

Violência contra a mulher

O governo faz o levantamento de cinco índices criminais de violência contra a mulher. Na comparação do primeiro semestre de 2019 com o de 2018, todos apresentaram queda. O crime de estupro caiu 30,6%. Foram 977 casos nos seis meses do ano passado, e 678 neste ano. Os casos de feminicídio caíram 21,8% (55 registros em 2018 e 43 em 2019).

No mesmo período, os casos de tentativa de feminicídio caíram de 194 para 184 (5,1%). As ocorrências de lesão corporal diminuíram de 11.144 no primeiro semestre de 2018 para 10.635 em 2019 (4,5%). Já o crime de ameaça reduziu de 19.181 registros para 18.710 (2,4%).

O último caso de feminicídio noticiado pelo G1 em junho ocorreu no dia 30, em Passo Fundo. Um mulher de 28 anos foi morta a tiros na madrugada de domingo. No último dia 3 de julho, o suspeito, que já estava com prisão preventiva decretada, se apresentou na delegacia e foi preso.

Mês a mês

Quando a comparação é feita com o mesmo mês, verifica-se um aumento de 35,2% nas tentativas de feminicídio em junho de 2019, em relação a junho de 2018. Foram 17 registros no ano passado contra 23 deste ano.

Outro dado que aumentou no mês de junho foi o de lesão corporal: 8,8%. Foram 1.441 casos em 2018 contra 1.569 em 2019.

Os índices de estupro e feminicídio também apresentaram queda em junho, de 21,8% (110 para 86) e 43,7% (16 para 9), respectivamente.

Na comparação entre maio e junho de 2019, o único dado que aparece em elevação é o de lesão corporal, com 4,6%. Foram 1,5 mil casos em maio contra 1.569 em junho. O crime com maior queda de maio para junho deste ano foi o de feminicídio: 30,7%. Foram 13 casos contra 9.

Fonte: G1/RS

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Grupo Aplateia