Inter muda postura e busca alternativas para a largada do segundo semestre

Equipe retoma os treinos nesta segunda em Porto Alegre em busca de ao menos um grande título

Inter entra na contagem regressiva para o recomeço da temporada. Na tarde desta segunda-feira, o elenco de Odair Hellmann retomará o treinos no CT Parque Gigante. No dia 10, o Colorado terá pela frente um jogo-chave para tentar voltar aos grandes títulos: a partida de ida contra o Palmeiras, na Alianz Arena, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Para isso, a semana de treinamentos em Atibaia mostrou um Inter com uma postura diferente em campo, mais agressiva, com marcação desde a saída de bola da defesa adversária – algo que não ocorreu no primeiro semestre, especialmente nos jogos longe do Beira-Rio.

Além disso, no interior paulista, o treinador colorado esboçou três formações diferentes, e buscou, sobretudo, alternativas à lateral esquerda, uma vez que Uendel assumiu a vaga de Iago – vendido ao futebol alemão -, mas, enquanto reforços não chegam, Zeca surge como a primeira alternativa, caso Uendel se lesione ou seja suspenso.

A seguir, GaúchaZH faz um balanço da semana colorada em Atibaia, que culminou com a vitória por 3 a 0 do time A sobre o Atibaia SC. Confira:

Nova postura

Os 3 a 0 sobre o Atibaia SC – com gols de Nico López, Rafael Sobis e de Santiago Tréllez -, equipe da terceira divisão paulista, mostraram um Inter com uma marcação alta, pressionando desde a saída de bola da zaga adversária. É bem verdade que D’Alessandro, Rafael Sobis (porque Paolo Guerrero segue com a selação peruana na Copa América), Nico López mais Edenílson e Nonato não conseguirão manter essa pegada durante 90 minutos, mas, enquanto houve pressão, o Colorado conseguiu recuperar bolas e sair quase na cara do gol. Essa nova postura, agressiva, será utilizada principalmente em partidas fora de casa.

Ainda que nas copas o Inter tenha vencido três jogos como visitante (Palestino, Alianza e Paysandu; e cedido o 2 a 2 para o River quase nos acréscimos), no Brasileirão, a campanha colorada além-Mampituba é bem mais modesta. Comissão técnica e jogadores têm consciência disso. E, essa nova marcação, no campo adversário, já é o primeiro passo para voltar a ganhar fora de casa nos mata-matas de Copa do Brasil e de Libertadores, e também no Campeonato Brasileiro.

D’Alessandro e as copas

Ainda que o tema seja tratado quase como algo proibido entre a direção colorada, o julho do Inter será de atenção total às copas, do Brasil e Libertadores. O Brasileirão, mesmo que com Gre-Nal, ficará em segundo plano. Assim, com foco total em Palmeiras (Copa do Brasil) e Nacional-URU (Libertadores), o Inter planeja ter D’Alessandro nos jogos fora de casa e no Beira-Rio – algo que estava ocorrendo pouco no primeiro semestre. No Brasileirão, o Inter utilizará uma equipe alternativa, ao menos enquanto julho não chegar ao fim.

A lateral canhota

Ricardo Duarte / Inter/Divulgação
Erik: alternativa à lateral esquerda Ricardo Duarte / Inter/Divulgação

Nenhuma função mereceu mais cuidados de Odair Hellmann do que a lateral esquerda. Sem Iago, vendido ao Augsburg-ALE, Uendel é o novo titular. Mas a questão é sobre quem vai rendê-lo em caso de lesão ou suspensão. Zeca é o ficha número 1. Mas, com Zeca na esquerda, o treinador precisa mexer em duas posições, deslocando Bruno para a titularidade da lateral direita.

Em Atibaia, além de Zeca, foram testados na lateral esquerda Dudu (aquele lateral-direito contratado em 2017 ao Figueirense, e que pouco jogou), além dos pratas da casa Erik e Heitor (aqui, outro lateral-direito de origem). A última opção é recuar Patrick, que atuou como lateral-esquerdo nos tempos de Sport Recife. Por tudo isso, o Inter deverá buscar um lateral-esquerdo no Exterior.

Precisamos falar sobre Tréllez

Ricardo Duarte / Inter, Divulgação
Tréllez: dois gols em Atibaia Ricardo Duarte / Inter, Divulgação

Até prova em contrário, o atacante são-paulino Santiago Tréllez foi a pior contratação do Inter em 2019. Até aqui, fato. Porém, segundo informações dos bastidores colorados, o colombiano passou boa parte do primeiro semestre jogando com uma lesão muscular. Até os treinos passavam a ser um sacrifício. Agora, está recuperado. Na intertemporada de Atibaia, Tréllez foi o goleador. Marcou dois gols, um sobre o Pouso Alegre (clube da segunda divisão mineira), outro sobre o Atibaia SC.

O curioso é que os dois gols foram parecidos: cruzamento na área, com o colombiano entrando correndo para chutar e marcar. Tréllez também foi incansável na caça à saída de bola dos zagueiros e dos laterais adversários – uma exigência de Odair. Sem Jonatan Alvez, liberado para voltar ao Júnior Barranquilla-COL, Tréllez disputa com o novato Pedro Lucas a vaga de atacante de área reserva do Inter. Mesmo que o torcedor colorado não queira, precisamos falar sobre Tréllez nesse segundo semestre.

Três formas de Inter

Odair Hellmann montou três versões de time para a retomada do ano. Tréllez, que começou no time C, já passou para a equipe B, devido a seus bons treinos. Roberto superou Emerson Santos, ao menos nesse momento, uma vez que Emerson pertence ao Palmeiras e não poderá ser relacionado para enfrentar os paulistas – a não ser que o Inter pague a multa de R$ 1 milhão, prevista em contrato. Rodrigo Moledo, que voltará a treinar normalmente com bola em Porto Alegre, e Guerrero, ainda na Copa América com a seleção peruana, foram os desfalques no interior paulista. Confira como os times foram montados em Atibaia:

Time A: Marcelo Lomba; Zeca, Roberto, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson e Nonato; D’Alessandro, Rafael Sobis e Nico López.

Time B: Danilo Fernandes; Bruno, Emerson Santos, Klaus e Erik; Rodrigo Lindoso, Neilton e Martín Sarrafiore; William Pottker, Pedro Lucas e Patrick.

Time C: Daniel (Keiller); Dudu, Leonardo, Pedro Henrique e Heitor; Rithely, Zé Gabriel e Zé Aldo; Guilherme Parede, Santiago Tréllez e Wellington Silva.

Reforços

Reprodução / Instagram
Taison: negociação esbarrou no bom momento do atacante na Ucrânia Reprodução / Instagram

O Inter vai às compras. Julho e a sua janela do Exterior levarão ao Beira-Rio de dois a três reforços: um lateral, um meia e um atacante.

— Temos carências no grupo, que precisam ser supridas. Sabemos o que precisamos para qualificar a equipe. Tem que ser diferenciado, e não chegar para ser mais um — disse o vice de futebol Roberto Melo.

O dirigente afirmou ainda que, nesse momento, não existe essa possibilidade de contratar Taison ou Aránguiz:

— Taison, tentamos no ano passado, antes de ele renovar lá (no Shakhtar Donetsk), mas é um jogador supervalorizado, capitão, com uma situação fora dos padrões do futebol brasileiro. É inviável neste momento. O caso de Aránguiz é da mesma forma. Investiram (Bayer Leverkusen) muito nele e pretendem contar com ele na Champions League.

A contratação de um sétimo estrangeiro, porém, não é descartada.

Fonte GauchaZH

Grupo Aplateia