Queda nos preços das frutas e da gasolina ajudam a manter prévia da inflação baixa no RS

Preços das frutas caíram 12,71%, enquanto gasolina ficou 2,64% mais barata no último mês. Com isso, deflação em Porto Alegre e Região Metropolitana foi a maior do país, conforme levantamento do IBGE divulgado nesta terça-feira (25).

A redução nos preços das frutas e da gasolina em Porto Alegre e Região Metropolitana foi o que ajudou a segurar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15),que é a prévia da inflação oficial no país, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A região teve em junho a menor taxa do Brasil, com um índice negativo: a deflação foi de 0,21%.

A prévia da inflação foi publicada nesta terça-feira (25). O índice ficou em 0,06%, bem menos do que o registrado em maio, 0,35%, e, segundo o IBGE, o menor índice para o mês de junho desde 2006, quando havia ficado em -0,15%.

De acordo com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a queda no valor das frutas foi de 12,47% e tem relação com a oferta do produto, além de boas safras, que acabam reduzindo o preço ao consumidor.

Outro item que contribuiu pra deflação em Porto Alegre e Região Metropolitana foi a gasolina. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, o valor do combustível vem caindo há seis semanas seguidas no estado.

Entre os motivos, está a queda do preço do petróleo no mercado internacional. Tem até posto fazendo promoção de R$ 3,97 por litro. A maioria, no entanto, está na faixa dos R$ 4,36.

De acordo com o IBGE, a redução foi de 2,64% na gasolina em pesquisa realizada entre 16 de maio e 12 de junho.

O feirante Juarez Guilardi comemorou. Em sua banca, vários tipos de frutas diminuíram de preço. “O abacaxi caiu, ele estava mais caro, hoje está na promoção, R$ 3”, conta Isabel Barbosa de Oliveira, também feirante.

E para os motoristas, abastecer com um preço menor também é motivo de celebração. “Depois de uma alta que foi a quase R$ 5, agora estamos chegando perto dos R$ 4, está menos ruim”, comenta o advogado Pedro Cirne Lima.

“Existe muita gente hoje que trabalha com transporte e faz diferença”, observa o administrador Douglas Rodrigues. “Facilita para podermos ganhar um pouco mais, a margem [de lucro] já é pequena, então tudo ajuda”, finaliza o motorista de aplicativo Daniel Weissheimer.

Fonte: G1/Rs

Foto: Internet

Grupo Aplateia