24 de junho, Dia da Conscientização Sobre Fissura Labiopalatina

Foi reconhecido o dia 24 de junho como dia nacional da conscientização sobre a fissura lábio palatina. O objetivo é levar ao conhecimento da população a fissura por meio de informações complementares de educação em saúde.

Lábio leporino e fenda de palatina são má-formações congênitas que ocorre durante o desenvolvimento do embrião. O tratamento requer abordagem multidisciplinar, isto é, a participação de especialistas de várias áreas.

A fissura labial e a fenda palatina, conhecidas popularmente como lábio leporino e goela de lobo, são malformações congênitas, de apresentação variável, que ocorrem durante o desenvolvimento do embrião. A incidência é maior na etnia amarela e menor na negra. É falsa a impressão de que os casos de lábio leporino e fenda palatina estão aumentando. O que cresceu foi o número de diagnósticos e a taxa de sobrevida dos portadores.

Fissura labial, ou lábio leporino, é uma abertura que começa sempre na lateral do lábio superior, dividindo-o em dois segmentos. Essa falha no fechamento das estruturas pode restringir-se ao lábio ou estender-se até o sulco entre os dentes incisivo lateral e canino, atingir a gengiva, o maxilar superior e alcançar o nariz.

Na fenda palatina, a abertura pode atingir todo o céu da boca e a base do nariz, estabelecendo comunicação direta entre um e outro. Pode, ainda, ser responsável pela ocorrência de úvula bífida (a úvula, ou campainha da garganta, aparece dividida). No entanto, às vezes, essa variação de tamanho é pequena, o que gera algum atraso no diagnóstico.

Ainda não se conhecem as causas dessas anomalias, que podem afetar um ou os dois lados da região orofacial, ocorrer isoladamente ou em conjunto, ou ser um dos componentes de uma síndrome genética. Sabe-se, entretanto, que os seguintes fatores de risco podem estar envolvidos na sua manifestação: deficiências nutricionais e algumas doenças maternas durante a gestação, radiação, certos medicamentos, álcool, fumo, e hereditariedade.

Um a cada 650 bebês nascem com Fissuras Lábio Palatina no Brasil. É mais comum do que se imagina e ainda falta muita informação adequada para as famílias.
No Brasil existem vários centros especializados em tratamentos para quem nasce com alguma fissura. Em Belo Horizonte, temos no Hospital da Baleia o CENTRARE, que é referência em cirurgias e tratamentos craniofaciais em Minas Gerais. O CENTRARE oferece atendimento via SUS em todas as especialidades necessárias para o acompanhamento daqueles que nascem com fissuras lábio palatais.
Saiba que a criança quando acompanhada em tempo certo, com os devidos tratamentos e estímulos terá uma vida normal.

Fonte www.sorrisoaberto.com.br 

Postado por: João Victor Montoli

Foto: Maria Cecília Azevedo

Grupo Aplateia