Cesa prepara leilão das unidades de São Gabriel para julho

As duas unidades de São Gabriel estarão a leilão em 9 de julho – Foto: Divulgação/Cesa

A venda de mais duas unidades da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa) já tem uma nova data marcada: em 9 de julho, às 13h, haverá o leilão das unidades de São Gabriel, que poderá ser acompanhado online neste link.

A Cesa, que está em liquidação, já arrecadou mais de R$ 50 milhões com o leilão das unidades de Júlio de Castilhos, Nova Prata, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Bagé, São Luiz Gonzaga, Cachoeira do Sul e Cruz Alta.

A Companhia também vendeu a unidade de Caixas do Sul, através do BRDE, para pagamento de dívida com o banco. Já a unidade de Estação foi vendida em leilão e homologada em juízo para quitar dívida trabalhista individual. Nestes dois casos, como o valor arrecadado foi direto para quitar dívidas da Companhia, não houve entrada de recursos no caixa do Estado.

A unidade frigorífica de Capão do Leão ainda não tem data definida e nem leiloeiro nomeado. Já a unidade de Passo Fundo foi posta à venda, mas teve o leilão embargado devido a uma ação civil paralela de reintegração de posse. “O julgamento dessa ação já está concluso para o juiz proferir sentença. Assim que houver sentença, seu teor será analisado para decidir o caminho a seguir. O departamento jurídico da Companhia mantém a posição de que o direito material pende para o lado da Cesa, mas somente após a sentença é que a viabilidade de novo leilão deve ser discutida, lembrando que é uma sentença em primeira instância e cabe recurso”, explica Artur Dariano, diretor administrativo financeiro da Cesa.

Unidades vendidas

– Júlio de Castilhos para Cotrijuc – R$ 6,78 milhões;
– Nova Prata para particular – R$ 1,6 milhão;
– Santa Rosa para a Cotrirosa – R$ 8,685 milhões;
– Palmeira das Missões para particular – R$ 2,996 milhões;
– Bagé para Pradozem – R$ 2,748 milhões;
– São Luiz Gonzaga para Coopatrigo – R$ 16,5 milhões (em confirmação do depósito do valor em juízo);
– Cachoeira do Sul para Pradozem – R$ 5,226 milhões (dependendo de Licença de Operação)
– Cruz Alta para Pradozem – R$ 5.686.470,60 (dependendo de Licença de Operação)

Grupo Aplateia