Acusado por envolvimento em assalto com mortes em joalheria de Estância Velha é preso

Homem de 29 anos foi preso em Sapucaia do Sul e teria participado da fuga após o latrocínio. Crime ocorreu em abril, quando pai e filho foram mortos durante o assalto.

Um dos homens denunciados por envolvimento no caso do assalto com morte de pai e filho em uma joalheria de Estância Velha, ocorrido em abril, foi preso na madrugada deste domingo (9).

O homem, de 29 anos, estava na casa da sua avó, em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana, quando foi identificado por agentes da Brigada Militar. No momento em que os policiais se aproximaram do local, ele correu para dentro da residência. Ele foi encontrado escondido embaixo da cama e preso em flagrante.

O acusado teria tido participação na fuga após o crime. Segundo a polícia, após o latrocínio, Rafael dos Santos Domingues e Davi dos Santos Mello, apontados como autores do roubo e das mortes, fugiram do local em um veículo Honda City, com placas adulteradas, e abandonaram o automóvel próximo à BR-116, em Novo Hamburgo.

Na mesma manhã, outro veículo, um Ford Focus, também com placas clonadas, foi utilizado na sequência da fuga e abandonado na BR-116, na cidade de São Leopoldo.

Imagens de câmeras de segurança de um estabelecimento próximo ao local mostram Rafael, Davi e um terceiro homem saindo do carro e deixando o local. Dentro do automóvel, foram encontrados objetos, como um aparelho celular, que vincularam a participação do homem preso neste domingo.

Cinco pessoas foram denunciadas pelo MP

Na sexta-feira (7), o Ministério Público denunciou cinco pessoas por envolvimento no crime. Rafael dos Santos Domingues e Davi dos Santos Mello foram denunciados por latrocínio, receptação e adulteração de sinal identificador de dois veículos roubados.

O terceiro homem preso, que teve participação na fuga, também foi denunciado por receptação e adulteração de sinal identificador de dois veículos roubados.

Além do trio, duas mulheres foram denunciadas por receptação de objeto roubado. Uma delas também deverá responder por favorecimento pessoal, porque ajudou a esconder os criminosos durante as buscas policiais.

Sobre o crime:

A denúncia do MP descreve que, no dia 10 de abril, Rafael e Davi, armados, ingressaram na joalheria e anunciaram o assalto. Jacó e Luis Fernando foram rendidos por Davi em um cômodo aos fundos, enquanto Elaine (esposa e mãe das vítimas, além de proprietária da loja) e uma funcionária, sob ameaça de Rafael, colocaram joias avaliadas em aproximadamente R$ 350 mil em uma sacola.

A denúncia narra que, em seguida, “durante os atos de execução, e com desígnios autônomos, instigando-se mutuamente e prestando auxílio recíproco, de modo a evitar qualquer reação que obstasse a consumação do delito, efetuaram disparos de armas de fogo contra as vítimas Leomar Jacó Canova e Luis Fernando Canova, cujos ferimentos ocasionaram as suas mortes.”

Grupo Aplateia