Frente em Defesa dos Agentes de Saúde e de Combate às Endemias é instalada na Assembleia

A Assembleia Legislativa instalou, na manhã desta quarta-feira (29), a Frente em Apoio e Defesa dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias, que será presidida pelo deputado Capitão Macedo (PSL). O objetivo da iniciativa é instituir um canal de interlocução entre as categorias e os poderes constituídos. “Nosso primeiro ato será o de solicitar aos representantes sindicais as demandas das categorias. A partir daí, vamos trabalhar para ajudar a atender as que forem justas, constitucionais e legais”, anunciou o parlamentar na cerimônia de lançamento, que ocorreu no Salão Júlio de Castilhos.

Capitão Macedo afirmou ainda que o trabalho dos agentes é fundamental na promoção da saúde pública nos municípios, pois “são eles que fazem intermediação entre os profissionais superiores de saúde e a população”. “Não há como pensar o serviço público sem os agentes, tanto na prevenção quanto no combate às endemias. São eles que percorrem diariamente as ruas das cidades, visitando cada lar, muitas vezes a pé ou de bicicleta. Trabalham sob o sol ou a chuva. As metas são altas, mas a remuneração não”.

A representante do Sindicato dos Agentes de Saúde do Rio Grande do Sul Valdívia Lucas declarou que muitas prefeituras gaúchas não pagam a insalubridade e nem o piso da categoria, que é de R$ 1.250,00. Além disso, ela denunciou que nenhum dos 496 municípios gaúchos está pagando o incentivo de gratificação.

Valdívia, que representa 15 mil agentes de saúde, revelou ainda que a categoria enfrenta a violência no desempenho de suas funções. “Em algumas comunidades, os tiroteios são comuns. Contamos só com a ajuda da população para nos proteger. Muitas vezes, atuamos também como mediadores nos casos de violência doméstica”, contou.

Grupo Aplateia