Preso no Paraguai homem que fugiu de presídio em 2016 após caminhão derrubar muro

Conforme a Polícia Civil, ele é suspeito de envolvimento com tráfico de drogas e homicídios. Na época, seis detentos escaparam

A Polícia Civil informou nesta sexta-feira (24) que um dos detentos que fugiram do Presídio Regional de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, em agosto de 2016, foi preso no Paraguai. Na época, um caminhão derrubou o muro da casa prisional e seis apenados escaparam.

O homem, de 37 anos, foi encaminhado para a carceragem da Polícia Federal em Foz do Iguaçu, onde aguarda a decisão sobre o presídio ao qual será levado.

De acordo com a polícia, o recapturado é suspeito de envolvimento com tráfico de drogas e homicídios. Durante a investigação, que durou cerca de seis meses, foram descobertos quatro endereços dele em Ciudad del Este, no país vizinho.

Homem foi preso no Paraguai, segundo a Polícia Civil — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Homem foi preso no Paraguai, segundo a Polícia Civil — Foto: Polícia Civil/Divulgação

No local onde foi encontrado, ele estava com a namorada, também de Pelotas. Ela foi presa em flagrante por estar com documentos falsos.

Ainda de acordo com a polícia, foram apreendidas dezenas de anotações que mostram que o homem continuava coordenando ações criminosas em Pelotas, mesmo estando no Paraguai.

“É evidente que o tráfico gera o homicídio, e agora há esperança de que se tenha um pouco mais de paz na região de Pelotas”, observa a chefe de Polícia Civil, delegada Nadine Anflor.

De acordo com a delegada, também houve a comprovação de que o homem estava atuando no tráfico internacional de drogas.

A delegada estima que ele tenha envolvimento em cerca de 40 homicídios, que ainda dependem de provas.

Contra ele, já havia sete mandados de prisões preventivas. “Trata-se de um dos mais procurados organizadores responsáveis pela organização criminosa do Sul do estado”, acrescenta Nadine.

A chefe de Polícia também destacou que essa foi a segunda prisão da Polícia Civil em âmbito internacional nos últimos dias. Em 18 de maio, o segundo suspeito de participar do assalto a uma relojoaria de Estância Velha, que terminou com a morte de pai e filho em abril, foi encontrado na Argentina.

“Nós estamos nos readequando e readaptando a essa nova modalidade de fugas, não somente para outros estados, mas também entre nossas fronteiras.”

Sobre a fuga

A fuga ocorreu por volta das 12h30 de 4 de agosto. Segundo a Susepe, presos serraram as grades das celas onde estavam e pularam para a área do canil, usando uma corda de pano. Eles escaparam depois que o caminhão derrubou um dos muros da casa de detenção.

O caminhão foi abandonado no local. Moradores próximos relataram, na época, que os presos fugiram em um carro e houve troca de tiros com policiais.

A Polícia Civil informou que havia alertado pouco mais de uma semana antes da ocorrência, sobre a articulação de criminosos para uma fuga em massa.

Também na época, o delegado penitenciário Hamilton Fernandes disse que foram tomadas todas as medias, como pedido de reforço de policiais militares no local e revistas, mas nada havia sido localizado.

Fonte G1 RS

Grupo Aplateia