Médico é condenado a 9 anos de prisão por violação sexual contra paciente grávida em São Leopoldo

Crime aconteceu em abril de 2018 na UPA Scharlau. Mulher relatou à polícia que médico pediu que ela tirasse toda a roupa e tocou suas partes íntimas. Homem está preso e não poderá recorrer em liberdade.

Um médico foi condenado a 9 anos de prisão pelo crime de violação sexual mediante fraude contra uma paciente em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A pena deve ser cumprida em regime inicial fechado.

A decisão é do dia 13 de maio. O juiz considerou como agravante o fato de o crime ter sido cometido contra mulher grávida e com abuso de poder de dever inerente à profissão. Foi fixado ainda o valor mínimo de R$ 15 mil para reparação dos danos à vítima.

O crime aconteceu em abril de 2018 na UPA Scharlau, bairro de São Leopoldo, onde o médico prestava atendimento como plantonista. A vítima fez a denúncia à Brigada Militar logo após deixar a consulta.

A mulher relatou à polícia que ao informar que estava com infecção urinária, o médico pediu que ela tirasse toda a roupa. Depois, tocou nas partes íntimas da paciente.

O homem foi preso em flagrante no dia 18 e, depois, teve a prisão convertida em preventiva. De acordo com a Polícia Civil, ele já tinha outras passagens por abuso sexual em Caxias do Sul, na serra gaúcha, de onde é natural.

O réu segue na prisão e, segundo o Tribunal de Justiça, não tem direito de recorrer em liberdade. O processo tramita em Segredo de Justiça.

Fonte G1 RS

Grupo Aplateia

Adicionar Comentário