Jovem Santanense busca apoio para seguir sua carreira no karatê

Professores do IFSul realizam“vaquinhas” para custear as viagens, competições e graduação para faixa preta de karatê de seu aluno

O karatê chegou ao Brasil com os imigrantes japoneses, no ano de l908, com a colônia que se instalou no interior de São Paulo e na capital. Durante décadas, vindos da terra-mãe, os japoneses, dentre eles o professor Akamine, ensinavam a “arte da mão vazia” aos jovens nipônicos e aos poucos brasileiros que se interessavam. O karatê ganhou diversos adeptos a partir da fundação da Associação Brasileira de Karatê no ano de 1960, em São Paulo, pelo Professor ShikanAkamine.
O que faz o jovem querer se tornar um atleta? A fama? Dinheiro? Ou simplesmente o amor pelo esporte? Nataniel Danilo da Silveira Rodrigues busca patrocínio para seguir sua vitoriosa carreira. Ele tem 19 anos, é atleta de Karatê faixa marrom(1kyu), conheceu o Karatê quando estava no ensino fundamental na escola Camilo Alves Gisler, através do programa Mais Educação, hoje, estuda no IFSUL e está no último ano do curso de eletroeletrônica. “Através do Mais Educação fui me apaixonando cada vez mais pelo karatê,porém, infelizmente teve um corte de verba e pararam com o programa na escola. Eu sempre quis seguir treinando,então encontrei o Dojo Força e Honra aonde comecei a treinar”, contou.
Nataniel conta que, apesar das dificuldades financeiras, nunca deixou de sonhar em se tornar um atleta de grande nível:“Minha mãe não tinha muitas condições de pagar as mensalidades,ela se esforçava muito para eu seguir treinando, muitas vezes usava dinheiro de outras contas para poder pagar. Por isso pensei várias vezes em desistir. Meu sensei, Ângelo Tentardini, considero além de professor, um grande amigo e incentivador, me estendeu a mão não cobrandoas mensalidades da academia e foi por ele, por causa dele, que consegui evoluir no Karatê, ele começou a me levar a campeonatos regional e estadual, onde fui me destacando na competição. Sempre tive vontade de participar de um campeonato estadual ou brasileiro, mas nunca tive dinheiro ou um patrocínio para tal”, explicou Nataniel.
Neste  ano,Natanielparticipou do campeonato Zonal Sul Suldeste: “Com o apoio do sensei Ângelo e da Federação Gaúcha de Karatêinterestilos(FGKIRS),através de rifa consegui realizar um dos meus sonhos e participar do campeonato Zonal em São Paulo, na cidade de Itapecerica da Serra, ficando na 3ª posição”.
Em 2020 acontecerá um evento em nível mundial e Nataniel espera poder competir, “Ano que vem o campeonato mundial vai ser no Brasil, no estado de Goiás, para o qual estou pedindo ajuda ou patrocínio para poder participar desse campeonato, que raramente é sediado no Brasil, e esta pode ser minha única chance de participar de um evento como esse”, disse o carateca.

O carateca agradece o apoio de todos do campus da cidade, “Os professores e servidores do IFSUL estão fazendo uma “vaquinha” para eu poder fazer o exame de graduação para faixa preta”.

João Victor Montoli – joao@jornalaplateia.com

Grupo Aplateia

Anúncios