Grupo de estudo vai analisar viabilidade de implantação de drogômetros no país

Trânsito brasileiro deve passar a ser fiscalizado por equipamentos que detectam drogas entorpecentes – Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil / Arquivo

O Ministério da Justiça e Segurança instituiu um grupo de trabalho para realizar estudos e elaborar documentos técnicos visando a implementação de tecnologias para detecção de substâncias psicoativas em condutores no trânsito brasileiro, os drogômetros, equipamentos similares ao bafômetro, mas que identificam motoristas sob efeito de drogas entorpecentes como maconha, cocaína, ecstasy, anfetamina, entre outras. A portaria 384/19 foi publicada na última semana no Diário Oficial da União.

A iniciativa da União foi motivada pelos resultados do projeto Tecnologias de Screening de SPAs no Trânsito – Avaliação de Tecnologias para Detecção de Substâncias Psicoativas em Condutores Brasileiros, realizado por meio de uma cooperação entre a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e o Hospital das Clínicas de Porto Alegre. O grupo de trabalho criado pelo governo federal tem prazo de 12 meses para conclusão das atividades e apresentação de relatório final.

Enio Bacci, diretor-geral do DetranRS, comemorou a criação do grupo de trabalho e espera que o drogômetro possa ser aprovado para uso na fiscalização o mais breve possível. “É uma medida necessária e urgente. O controle de motoristas alcoolizados já está bem consolidado com as blitze focadas em alcoolemia, como a Balada Segura. Está na hora de darmos mais um passo. Estamos confiantes no resultado dos estudos para avançarmos nesse sentido”, explica Enio.

Postado por Matias Moura

Grupo Aplateia