Prefeitura prepara licitações com recursos da Defesa Civil

Segundo a Secretaria de Obras, as licitações devem ser publicadas até o fim do mês

O secretário de Obras de Sant’Ana do Livramento confirmou, nessa semana, que as licitações para as obras de reconstrução de vários pontos do Município afetados pelas enxurradas que assolaram a cidade devem ser publicadas ainda neste mês. O resultado é a consagração de um trabalho feito pela Pasta nos dias depois dos temporais que provocaram estragos em vários pontos.
O valor total das licitações é de R$1.071.645,38 e serão feitas reconstruções para e complementação para a obra, calçada, meio fio, rua e bueiros. O trabalho será realizado nos principais pontos danificados na época da enxurrada. “Nas ruas Irmão Lino de Azevedo, avenida Francisco Reverbel de Araújo Góes em uma galeria que tem passando o Moysés Vianna”, explicou o secretário Ricardo Dutra.
Além desses locais, haverá a construção e uma galeria na rua Egídio Micaelsen, e a reconstrução da galeria da Vila Brisola, em um total de 16 metros. Juntas as obras passam de R$280 mil com recursos da Defesa Civil. A construção da ponte do final da rua 13 de maio também será realizada com recursos de R$311.667,30. O interior do Município também está sendo contemplado. A ponte do Ibicuí, através de uma obra de reconstrução, será reestabelecida com um recurso de R$251.732,20.
Para o secretário de Obras, é importante destacar a ação de Governo. “Isso é resultado de se ter mantido técnicos à frente das Pastas. Eu não estou chamando pra mim essa fala, mas acho que os governos deveriam fazer isso, seja o Ricardo, seja o Miguel, entre outros. Técnicos – não só o engenheiro, que é o meu caso – que possam trazer o resultado, pois esse casamento da política com o técnico dá certo, se houver o respeito. Acho que esse fato é de onde nascem as coisas. Livramento nunca capitou esse tipo de recursos, porque não sabia o caminho por onde pedir. Muitos dos municípios que pedem, não levam, porque pedem errado, então, desde o início garantimos isso, que fosse feito de forma correta para que fosse aprovado, mesmo que demorasse um pouco, como é o caso”, afirmou Dutra.
Ricardo destacou também que é necessário ter essa visão para chegar no projeto final com os recursos da Defesa Civil na conta. “Na lógica de tentar fazer do limão uma limonada, através da capitação de recursos. Foi assim que vislumbramos na época da primeira ocorrência, eu já tinha feito esse trabalho em Santa Catarina quando houve o desmoronamento de alguns morros em Blumenau. Com essa experiência, pudemos ter êxito nessa empreitada”, acrescentou.
“A experiência e o desenvolver projetos têm que ser somado com o trabalho. É necessário ter fundamento, tivemos reuniões em Porto Alegre e Brasília. Nós fomos case de sucesso nos projetos junto a Defesa Civil, pois fomos a cidade que mais capitação de recursos, pois tivemos projetos consistentes. Existiam cidades com mais desastres, mas nós, naquele então, conseguimos fundamentar melhor o nosso trabalho”, destacou o secretário.
A ideia é que logo depois de licitadas, as obras comecem a ser feitas pelas empresas que devem ser contratadas pela Secretaria da Fazenda, para realizar as obras no Município, com a coordenação da Secretaria de Obras.

Grupo Aplateia