Wagner apita a final e é eleito melhor árbitro da Copa Santiago 2019

Ele concorreu com cerca de 30 árbitros de várias gerações e vindos de várias cidades que passaram por Santiago nas últimas duas semanas e chegou em meio a disputa, com a segunda turma. Mas seu desempenho nos quatro jogos que apitou, entre os quais o clássico Grenal e a final do última sábado, entre Grêmio e Palmeiras, fizeram do santanense Vagner Silveira Echevarria o melhor árbitro da Copa Santiago 2019. A eleição foi feita entre dirigentes, técnicos das equipes e organizadores. O santanense recebeu o troféu junto na solenidade de premiação junto aos vencedores ao final da partida decisiva, onde o Grêmio venceu o Palmeiras nos pênalti. Wagner apitou a final junto com a assistente Ariela silveira, Artur Avelino e os adicionais Bruno Leites e Ceiton Pache. Aos 32 anos, completados nesta semana. Wagner, que estreou na Copa Santiago neste ano, concedeu uma breve entrevista falando seu inicio de temporada e seu crescimento profissional, representando uma geração de jovens árbitros que hoje são Livramento no cenário do futebol gaúcho. Wagner faz\ parte de uma nova geração de árbitros com formação academia em Educação física ele trata a arbitragem com o profissionalismo que a categoria tanto almeja no futuro, embora tenha sua origens nos campos do futebol amador, onde iniciou incentivado pelo seu maior mentor na arbitragem, o tio Solon Fagundes, falecido ano passado.

A Platéia: Como você recebe esta distinção ao final da Copa Santiago 2019 ?
Wagner: O resultado do nosso trabalho e dedicação, não só minha mais do nosso grupo de arbitragem. A gente sempre busca o melhor através dos estudos e da nossa qualificação e graças a Deus la em Santiago pude ser escolhido o árbitro destaque do campeonato.
A Platéia: E a responsabilidade de apitar a final, como já havia ocorrido no Efipan ano passado ?
Wagner: Feliz por ter sido também o primeiro a apitar uma final de tão relevância como o Efipan e agora novamente com a final e a eleição do melhor árbitro. Mais do que o nosso trabalho, destaco sempre que posso a nossa cidade.
A Platéia: E esta responsabilidade de representar Livramento no Cenário do Futebol Gaúcho ?
Wagner: Livramento, infelizmente não tem futebol profissional e nós, eu, o Dakimalo Garra Gomes, Luis Paulo Duarte e Francisco Dias, nos sentimos felizes de alguma forma representar Livramento cenário do futebol gaúcho com o nosso trabalho na arbitragem. Além do troféu vou guardar minhas palavras de orgulho de ser de Santana do Livramento, terra que gente muito boa, qualificada, que deseja trabalhar, crescer e fazer sempre o seu melhor. Este troféu leva para todo o Estado que mesmo sem futebol profissional, tem profissionais qualificados e que estão galgando seu espaço no cenário do futebol gaúcho.

Grupo Aplateia