Município contabiliza perdas milionárias no agronegócio com as chuvas de Janeiro

Segundo dados da EMATER as culturas mais afetadas foram a Soja com maior prejuízo, seguido pela Uva , Arroz e Produção Leiteira.

A região da fronteira oeste e campanha gaúcha registraram no início no mês de janeiro uma média histórica de chuva que variou de 600 a 900 milímetros em algumas cidades, o que causou além de enchentes muitas perdas na cidade e no campo. Em Livramento segundo registrado pela estação do IMET (Estação Automática de Santana do Livramento) do período de 1º de Janeiro à 17 o volume atingiu 443,6 mm de chuva sendo que em algumas regiões mais asfaltadas do município o acumulado ultrapassou 550mm trazendo inúmeros prejuízos.
Segundo levantamento oficial do escritório regional da EMATER a cultura mais afetada foi a soja que possui uma área plantada em Livramento de 55 mil hectares, sendo que as maiores perdas registradas até a emissão do laudo técnico se concentravam na semeadura de soja nos campos de várzea a onde os prejuízos foram de 15% da área plantada. Porém as perdas se agravaram pelo excesso de umidade que favorece a ocorrência de problema fitossanitários que afetarão as safras futuras. Em termos de números a estimativa é de uma perda de 330 mil sacas atingindo um número de 23 milhões de prejuízo aos produtores.
Em segundo lugar a cultura mais prejudicada com o excesso de chuva é a vitivinicultura onde a alta umidade acabou prejudicando a qualidade das uvas assim como a quantidade do produto na safra atual. As variedades mais precoces e de ciclo médio que já estão em estágio avançado de produção serão as mais afetadas, já as mais tardias irão apresentar uma perda na qualidade e consequentemente uma desvalorização comercial. Diante deste quadro estimasse uma perda de 18 milhões de reais em uma safra prevista de 7.000 toneladas de uva.
Já na produção de arroz que possui uma área plantada de 8.221 hectares estimasse perdas de 5% por inundação e 10% a 15% na produtividade esperada sobre área total, em termos a estimativa é 7,2 milhões considerando a casa no valor de R$39,00 saca de arroz.
Na produção leiteira, as perdas no período de chuvas se deram dois motivos conservação e coleta, porque muitas propriedades ficarão sem acesso por conta da problemática das estradas rurais. Conforme o balanço apresentado pela EMATER, foram perdidos cerca de 300 mil litros de leite ocasionando um prejuízo de mais de 500 mil reais a cadeia produtiva do leite.
Outro setor produtivo que teve grande prejuízo é Apicultura que contabilizou uma perda de 50% na safra primavera/verão, com baixa produtividade nos apiários e uma prejuízo estimado 75 toneladas de mel o que corresponde R$525 mil reais .

Grupo Aplateia