Associação Brasileira de Criadores de Ovinos completa 77 anos

O início da história da então Associação Rio-grandense de Criadores de Ovinos foi em Santana do Livramento (RS), no dia 18 de janeiro de 1942 durante a 3ª Exposição Nacional. E o seu primeiro presidente foi o senhor João Farinha. Em 1977 a ARCO ganhou o status de nacional e passou a ser delegada do Ministério da Agricultura para ser o cartório de registro das raças ovinas em todo o Brasil.

Completando 77 anos de atuação, a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos – ARCO se mantém como referência no Serviço de Registro Genealógico de Ovinos – SRGO. A ARCO tem no seu DNA também a Assistência Técnica que hoje é realizada por 119 Inspetores Técnicos que atuam em todos os estados brasileiros na seleção de 27 raças, sendo: Merino Australiano, Ideal, Corriedale, Romney Marsh, Hampshire Down, Texel, Ile de France, Suffolk, Karakul, Lacaune, Santa Inês, Morada Nova, Bergamácia Brasileira, Somalis Brasileira, Rabo Largo, Border Leicester, Poll Dorset, Polypay, Cariri, Dorper, Crioula, Samm, White Dorper, East Friesian, Dohne Merino, White Suffolk e Romanov.

Para esse trabalho a ARCO fez importantes investimentos em tecnologia que facilitam o acesso e garantem agilidade e eficiência nos serviços prestados. Já há alguns anos todos os serviços estão disponíveis a todos os criadores via internet, o que além de agilizar o processo de registro e comunicações, auxilia muito na economia de papel, demonstrando a consciência e responsabilidade ambiental da entidade. “Além da responsabilidade ambiental fizemos grande economia com papel, impressoras e serviço de Correios” diz o presidente Paulo Afonso Schwab.

Além da eficiência no registro a entidade está também direcionada ao trabalho de organização da cadeia e fomento da produção através de convênios e parcerias com instituições de pesquisa e extensão que auxiliam a promover o desenvolvimento genético das raças e o aumento dos rebanhos. Este um grande desafio para a ovinocultura nacional – aumentar a oferta do produto ovelha.

“A ARCO é uma entidade de expressiva representatividade e exerce um importante papel na seleção e aprimoramento das raças ovinas, chancelando o trabalho dos criadores brasileiros no melhoramento genético dos seus plantéis” afirma Schwab ressaltando a importância histórica que a entidade tem para a ovinocultura.

Schwab, que está à frente da ARCO há mais de 20 anos fala do orgulho e da responsabilidade de ser presidente de uma entidade como a ARCO, “depois de mais de duas décadas a ARCO é comparada a uma filha” fala emocionado, “estou deixando para os que virão uma entidade forte, responsável, eficiente e comprometida com o setor”. Não há no Brasil e, até fora dele, debate sobre ovinocultura em que a ARCO não seja chamada para participação, sendo hoje a principal fonte de informações e reconhecida por sua responsabilidade e eficiência como entidade representativa do setor produtivo.

Festa em Livramento

Para comemorar os 77 anos da entidade e a indicação de Santana do Livramento – cidade onde tudo começou – como a Capital Nacional da Ovinocultura, foi realizada na quinta-feira passada um jantar que marcou a inauguração do Monumento à Ovinocultura. Uma obra de arte de mais de dois metros de altura e que pesa mais de duas toneladas, produzida pelo artista uruguaio Eduardo Camargo. A ovelha mãe e seus dois cordeiros ficarão expostos no Parque de Exposições e Sindicato Rural de Santana do Livramento.

Grupo Aplateia