Empresário que socorreu família em carro atingido por árvore durante vendaval narra momentos de terror

O empresário Vinicius Vargas, que possui um restaurante bem ao lado do Parque Internacional foi testemunha ocular do ocorrido e ele narra os momento de terror. Fotos / Matias Moura/AP

Dia de contabilizar os estragos e de limpar os rastros deixados pelo vendaval da última segunda-feira (17). Já tem se tornando rotina nos últimos anos vendavais e temporais atingirem Santana do Livramento e Rivera no mês de Dezembro. Dessa vez foi o calor extremo de quase 40º graus que culminou no evento que destruiu arvores, derrubou galhos e destelhou algumas residências em nosso município.

Um dia após o incidente, nesta terça-feira(18) ainda existem muitas pessoas sem luz por conta da queda de postes e o serviço de limpeza das ruas começou pela parte da manhã na região mais afetada que compreende o Parque Internacional que sofreu os maiores danos com a queda de duas araucárias centenárias. Fotos e vídeos do vendaval na fronteira foram divulgados e veiculados nos mais variados meios de comunicação desde a internet a TV Aberta demostrando o potencial destruidor do vento que atingiu aproximadamente 93km por hora.

Árvore caiu sobre o veiculo que estava estacionado ao lado do Parque Internacional: Matias Moura/AP

Entre os registros, uma das imagens que mais chama atenção é a de um veículo amarelo com placas uruguaias que por alguns centímetros não foi atingido em cheio com uma das arvores. No momento do vendaval uma família estava dentro do veículo e de forma milagrosa não sofreu nenhum dano.

O empresário Vinicius Vargas, que possui um restaurante bem ao lado do Parque Internacional foi testemunha ocular do ocorrido e ele narra os momento de terror. Segundo ele ventava muito forte e foi quando um barulho alto de arvore quebrando foi ouvindo e posteriormente a queda da árvore. “Nós já estamos aqui no restaurante na hora do vendaval, o vento era muito forte foi quando escutamos um barulho de coisa quebrando e fomos olhar o que era foi quando a arvores caiu e em seguida deu um grande estouro. Nós olhamos e vimos o carro lá no outro lado – ai eu e mais dois colegas corremos até lá e abrir o carro e tiramos aquelas pessoas que estão em choque. Daí a gente trouxe ela para o restaurante para acalmar elas, pois estavam muito assustadas. Naquela hora a gente não pensou em fio caído nem nada, a única coisa foi resgatar aquela pessoas enquanto muita gente ficou só olhando” conta o empresário

Árvore foi arrancada com raiz e tudo. Foto: Matias Moura/AP

Herói improvável

Vinicius destaca a atitude de coragem de um já conhecido dos santanenses, o Soldado Paulinho , que quando percebeu o que estava acontecendo correu para o local para auxiliar no controle do transito e as pessoas que estavam assustadas.” Foi graças a ele que a gente conseguiu ajudar aquelas pessoas o Paulinho ficou ali indicando para os motoristas que ainda estavam sem entender o que estava acontecendo – Ele foi de grande ajuda ali”. Vinicius disse também que quando a árvore caiu um galho se soltou com o impacto e ficou gravado na fachada do restaurante onde haviam muitos clientes naquele horário.” Foi um grande susto porque poderia ter acontecido algo bem pior” comentou.

Semáforos sem funcionamento

Na manhã desta terça-feira alguns semáforos do município apresentavam problemas de funcionamento, entre eles o que está situada entre a Avenida Tamandaré com a João Goulart. Enquanto o equipamento não voltou a operar normalmente agentes de transito juntamente com o Herói Soldado Paulinho controlaram o transito na localidade.

RS continua com alerta para tempestades

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso alertando sobre a possibilidade de tempestade entre a 1h de terça e a 0h59min de quarta-feira (19) em todo o Estado. Segundo o Inmet, há possibilidade de chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos de até 100 Km/h e queda de granizo. Há também risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos.

Na quarta, as condições de tempo mudam pouco, visto que os ventos sopram de norte e transportam calor e umidade para o Estado. Por conta disso, a sensação é de abafamento na metade norte gaúcha e as condições são favoráveis para pancadas de chuva forte, com potencial para transtornos e queda de granizo. Os maiores volumes devem ser observados no centro e sul do RS, onde novamente há condições para alagamentos nos centros urbanos.

Fotos e texto : Matias Moura

Grupo Aplateia