Ruínas do antigo Cine Colombo podem desaparecer

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Um debate se levanta na cidade de Livramento, ou seria “desmorona”? Ocorre que nesta semana a Câmara de Vereadores aprovou com onze votos a favor a retirada da matrícula do antigo Cine Colombo do inventário histórico da cidade e a conseqüente demolição das ruínas para receber uma construção de prédio que, segundo documentos apresentados pelo vereador Galo Del Fabro abrigará salas comerciais. Trata-se do Projeto de Lei Complementar n° 4/2018. O prédio fica entre a Rua dos Andradas e Conde de Porto Alegre.
O caso repercutiu entre arquitetos da cidade que defendem a preservação do patrimônio histórico e um diálogo mais aperto para a chegada de novas construções para que possam preservar parte da história da cidade.
A Câmara promoveu uma audiência pública sobre o tema onde participaram a Comissão do Patrimônio Cultural, integrantes da Associação dos Amigos da História, o IAB, Núcleo Região da Fronteira, a Associação Santanense das Imobiliárias e Corretores de Imóveis, Academia Santanense de Letras e Secretaria de Planejamento. Para Raul Paixão, da Secretaria de Planejamento, o Plano Diretor da Cidade deve ser respeitado.
O Parecer da Comissão do Patrimônio Cultural relara que é perfeitamente possível a construção de uma nova edificação no local e concomitante a preservação das paredes históricas que não estão comprometidas na antiga estrutura do Cine Colombo. Segundo Celeste Martinez, arquiteta e que está engajada nesta questão, boa parte das paredes estão intactas e podem ser mantidas como forma de preservação da história. Para Lucia Schüler Irulegui, também arquiteta, é possível estudar outras formas de intervenção no local antes de cogitar simplesmente a demolição de toda a estrutura.
Em entrevista, o vereador Galo disse que o único imóvel de Livramento tombado com o patrimônio Histórico é apenas a Casa onde estão os restos mortais de David Canabarro e que o desenvolvimento da cidade não pode ficar preso em edificações antigas e condenadas que, na visão do vereador, em nada agregam ou contribuem para a geração de emprego e renda, “não podemos adiar o desenvolvimento”, disse ele. O vereador Galo ainda lembrou que muitos imóveis que cercam o prédio do antigo Cine Colombo são prejudicados com sujeira, ratos e baratas de origem das antigas ruínas que se tornaram criadouros desses animais.
O investimento, segundo anunciado nas redes sociais pelo vereador, beira os R$ 7 milhões de reais e irá valorizar comercialmente o entorno e demais comércios.
Para o grupo de arquitetos e historiadores que defendem a preservação do lugar a notícia da aprovação do Projeto de Lei foi um choque, mas ainda guardam esperança de que o investidor repense o projeto e reserve uma área para preservação do patrimônio que possui mais de 100 anos de história. O Cine Colombo possuía 750 lugares e utilizava um aparelho projetor para filmes de 35 mm.

Versão e opinião do Vereador Germano Camacho

‘‘O projeto que permite a exclusão do predio do antigo cinema Colombo , do rol de predios constantes como patrimonio historico cultural do municipio, tem como base questoes levantadas que necessitam ser avaliadas com objetividade, quais sejam:
– o predio foi alvo de sinistro há 12 anos atras , quando um incendio praticamente destruiu as estruturas do antigo cinema, que já estava desativado há muito tempo.
– desde o ocorrido do incendio , o predio ficou abandonado , sem qualquer tipo de manutençao ocasionando transtornos e problemas aos moradores vizinhos, pois a proliferação de insetos , mosquitos e outros, tornou-se um grande problema de saude publica.
– Neste momento, quando houve interesse de se recuperar o local por parte de terceiros , visualizou-se a possibilidade de modificação e modernização das estruturas atraves de um empreendimento que alem de trazer empregos e renda para os santanenses , tambem estará trazendo um novo visual para o local, numa visão empreendedora e de desenvolvimento para o municipio.
– Diante desses fatos e da necessidade de se aliar desenvolvimento e cultura, há informações de que o proprietario do imovel deverá fazer um memorial onde estarão expostos elementos da preservação historica do antigo cinema.’’