Produtores rurais que tiverem interesse no plano safra 2018/2019 podem contratar no Banco do Brasil

O crédito pode ser investido para aquisição de animais, tratores e implementos de serviços

O plano safra, conhecido por ser um conjunto de diretrizes estabelecido pelo governo federal para todas as instituições financeiras autorizadas a operar em crédito rural, está disponibilizando contratações desde o último dia 2 de julho, nas linhas de custeio, comercialização e investimento.
O custeio pecuário possui um prazo de pagamento de até um ano, e o custeio agrícola de 60 dias após finalização da colheita. O plano pode ser usado para aquisição de animais, tratores e implementos de serviço. Além disso, financia também reforma de instalações permanentes, implantação de pastagens, construção de silos armazenadores e outras novas tecnologias. Pode ser utilizado para financiamento de custos da atividade pecuária. Na atividade agrícola é usado para a compra de insumos.
Nesse ano, as principais novidades estão nas taxa de juros, que irão de 5% até 7,5% ao ano. Há ainda, outras linhas de recursos próprios do Banco do Brasil, que conforme cada análise pode ser adicionado para atender melhor cada cliente.
Em Santana do Livramento, a maior parte do crédito concedido para produtores enquadrados está no médio produtor, que utiliza uma taxa de 6% ao ano.
Para os produtores que tem em suas atividades a lavoura agrícola de soja, arroz e milho, o Banco do Brasil oferece a contratação de um produto para segurar a produção em caso de intempéries – seca, granizo, tromba d’água – esse seguro está à disposição para clientes que operam em crédito rural e em específico, os que tomam recursos com a finalidade de custeio agrícola.
Produtores rurais, pessoas físicas e jurídicas, que tiverem interesse podem procurar uma agência do Banco do Brasil, que posteriormente serão orientados de como encaminhar a documentação necessária.
De acordo com Ricardo Nunes, gerente geral do Banco do Brasil, agencia Santana do Livramento, aproximadamente 70% da economia do município está voltada para a agropecuária extrativista. No primeiro semestre de 2018 foi trabalhado com recursos da agricultura familiar para médio e grande produtor. “A carteira de crédito rural do banco no município está próxima dos 290 milhões. No primeiro semestre de 2018, o volume de recursos liberados em crédito foi de 56.500 milhões, então representa um bom volume apoiado pelo nosso banco”, ressalta.

Por: Lauren Trindade – Laurentrindade@jornalaplateia.com

Grupo Aplateia