Escritora Zélia Aguirre palestra sobre as relações humanas fragmentadas

A metáfora das portas foi utilizada para que se compreenda que cada pessoa é como uma porta no seu interior

Na noite de ontem (26), a escritora Zélia Aguirre ministrou a palestra “Portas”, na Sala Cultural de Livramento. Na ocasião, a palestrante apresentou vários questionamentos como: Quem sou eu?, Como eu estou vivendo?, Preso ao passado ou vivendo o presente?

A metáfora das portas foi utilizada para que se compreenda que cada pessoa é como uma porta no seu interior, algumas mais abertas que as outras mas cada um com a sua essência.

Devido às várias transformações que o mundo vêm passando em busca da evolução, Zélia esclarece que as relações humanas estão fragmentadas e para que possamos evoluir é necessário nos colocar a disposição do outro, identificar onde erramos e assim recomeçar, tornando cada dia de nossa vida melhor para que assim, ao cruzarmos pela “porta” possamos refletir tudo aquilo que fizemos nesta vida e poder ter a certeza de ter feito o melhor.

Foto: Divulgação/Caroline Alves.
Foto: Divulgação/Caroline Alves.
Foto: Divulgação/Caroline Alves.

Grupo Aplateia