Pacientes de hemodiálise em Livramento podem sofrer reflexos da greve dos caminhoneiros

Líder local da greve, disse que não estão bloqueando veículos da saúde e nem de cargas vivas

 

Na tarde desta quinta-feira (24), a Cardio Nefroclinica informou que está atenta à paralisação dos caminhoneiros em todo o País e buscam esolver o risco da falta de insumos necessários para a realização da diálise, como as soluções ácida e básica.

O estoque da clínica tem capacidade  para atender aos pacientes apenas até amanhã (25), em função da falta de abastecimento causada pela greve que teve início na última segunda-feira. “Entendemos como legítimo esse movimento que pede mudança na política e na economia nacional, mas esperamos que o transporte de insumos para a saúde  possa chegar  ao destino final.  Enquanto isso, estamos fazendo contato com clínicas de cidades  do entorno para evitar  a interrupção do tratamento dos 66 pacientes renais crônicos  que realizam hemodialise em Santana do Livramento”, explicaram na nota.

De acordo com Eduardo Vargas, líder local da greve dos caminhoneiros, a classe não está bloqueando veículos da súde e nem cargas vivas. “Fizemos contato com três bloqueios próximos ao município de Livramento e eles também estão liberando, portanto, o desabastecimento da clínica não deve ser pela nossa greve”, disse.

Grupo Aplateia