O crime que chocou o mês de fevereiro

‘Não aguentava mais ouvir seu choro’ diz acusado de matar bebê. Na noite de terça-feira (20), agentes do Setor de Investigação da 1ª DP de Livramento cumpriram mandado de prisão preventiva em desfavor de A.M.V de 26 anos.

Na noite de terça-feira(20), agentes do Setor de Investigação da 1ª DP de Livramento cumpriram mandado de prisão preventiva em desfavor de A.M.V de 26 anos.
O homem é acusado da morte de um bebê de 10 meses, filho de sua namorada, pois, de acordo com sua narrativa, ‘não aguentava mais ouvir seu choro’.A Delegada Ana Tarouco, que conduziu os trabalhos, destacou a postura do acusado que, após ‘apertar o pescoço da criança’, lhe deu um banho, vestiu e o deitou na cama de sua mãe, tudo para tentar encobrir os fatos.
Apontou, ainda, que a investigação prossegue para apurar eventual omissão da mãe da criança, dado que, durante o crime, a mesma não estava na residência, local de onde já havia saído horas antes, deixando a criança aos cuidados do acusado. O Inspetor que atuou no caso referiu que em um primeiro depoimento o homem negou qualquer envolvimento nos fatos, indicando que a criança teria sofrido uma queda.
Após a coleta de novos elementos, onde inclusive se apurou que dias antes o homem já havia ameaçado a criança de morte, a equipe ouviu novamente o acusado que acabou confessando a prática do crime, fornecendo detalhes dos fatos, os quais foram confirmados pela perícia. Após as diligências, o homem foi encaminhado ao Presídio.

“O que nos chamou atenção foi a frieza do acusado”

A Delegada Ana Tarouco, ainda destaca que um fato chamou bastante a atenção dos investigadores durante o caso: a frieza do acusado em seus depoimentos. “Isso nos chamou muita a atenção durante todo o processo de investigação deste homicídio. É um caso que nos choco e nos entristece e, infelizmente, não será o primeiro e não será o último.
Mas cabe ressaltar o trabalho realizado pela nossa equipe de investigação que acabou por prender o acusado” disse.

A investigação

Segundo a investigação o acusado teria mentido durante o primeiro depoimento ao dizer que a criança tinha caído em casa no dia de sua morte e que começou a apresentar alguns sinais de que não estava bem. Em seguida, a polícia colheu vários depoimento de pessoas chave e se montou uma linha de investigação sobre o caso. Algumas pessoas ouvidas relataram atitudes suspeitas no dia a dia do acusado com a criança, bem como a conduta da mãe do bebê.
A partir deste fato a polícia conseguiu elaborar um quebra-cabeças e logo após chamou o acusado para depor novamente, foi quando ele teria confessado o assassinato dizendo que não aguentava mais conviver com a mentira. No depoimento ele forneceu informações precisas de como agiu inclusive mostrando com gestos como ele asfixiou o bebê. O motivo alegado pelo acusado foi por causa do choro da criança.

Entenda o caso

No último dia 9 de fevereiro a criança de iniciais Y.M.V. de apenas 10 meses de idade teria sido deixada pela mãe de iniciais N.M.V. sozinha na companhia de um namorado na Morada da Colina. A mãe teria se ausentado por cerca de três horas para ir à casa de um ex-namorado.
O acusado de iniciais A.M.V de 26 anos (suposto pai na menor) teria ficado cuidado da criança e se irritou com o choro da bebê, ocasião em que teria assassinado a criança por asfixia. Ainda durante este período a criança teria sofrido uma queda. Após cometer o crime, o acusado banhou a bebê, trocou as fraldas e a colocou na cama do casal.
Horas depois a mãe retornou para a residência do casal e teria pedido a criança para alimentar, o acusado foi até o quarto, pegou a criança e a colocou no colo da mãe, ocasião em que ela sentiu o corpo da criança gelado. O SAMU teria sido acionado para prestar o socorro, mas o óbito já teria sido confirmado.

Por: redacao@jornalaplateia.com – 24/02/2018 às 0:00

Grupo Aplateia

Anúncios