Rosário – Após briga generalizada e esfaqueamento BM solicita o cancelamento do Carnaval de Rua – Grupo Aplateia

Rosário – Após briga generalizada e esfaqueamento BM solicita o cancelamento do Carnaval de Rua

O comandante do 3º Esquadrão da Brigada Militar, Capitão Magno Siqueira, solicitou em ofício à prefeita de Rosário do Sul o cancelamento do Carnaval de Rua do município. Os motivos seriam o baixo efetivo da BM, falta de reforços e de segurança privada, bem como irregularidades de veículos durante a festa. O caso da briga que resultou em pelo menos quatro pessoas esfaqueadas na madrugada desse domingo (11) também motivou o pedido.

O consumo de bebidas alcoólicas e os casos de embriaguez ao volante também foram apontados no documento como agravantes da situação. O Capitão deixou ciente de que se a festa prossiga, a responsabilidade será da Administração Municipal. “Solicito a Vossa Senhoria o cancelamento do carnaval, pois não existe segurança necessária, mas caso vossa senhoria decida manter o evento fica ciente de suas responsabilidades como organizadora. Este oficial já informou o Comando do Regimento, e informará também o Ministério Público para providências”, é afirmado no documento, referindo-se à prefeita Zilase Rossignollo Cunha (PTB).

 

O ofício possui várias considerações. Conforme o Capitão Siqueira, o efetivo de policiais de serviço não é suficiente para o evento do carnaval. Na última quinta-feira (08), ele já teria anunciado isso na imprensa local, pois o déficit na segurança pública já superava 50% em todas as cidades da região.

 

A falta de contratação de segurança privada por parte da prefeitura também é citada no documento, bem como a questão de veículos rebaixados com som no local, que dificultariam o trabalho do policiamento. A situação teria sido informada à Administração Municipal, que alegou que poderia autorizar por ser um evento popular, e enviou uma lista de 19 veículos. Todavia, segundo a BM, destes, 14 estavam em situação irregular. “A Brigada Militar teve que recolher vários veículos no local, dificultando assim a segurança, pois estas medidas administrativas empenham um grande efetivo, e um tempo relativamente importante para que os policiais foquem em outros riscos, como brigas generalizadas que aconteceram”, cita o documento.

 

No ofício também é lembrado o fato de ter sido acertado com a prefeitura que o som não poderia ultrapassar às 5h da madrugada. Porém, no momento que foi desligado a população teria se inflamado contra a Brigada Militar, proferindo ofensas aos policiais, que não possuíam efetivo para garantir sua própria integridade. “Considerando que muitos indivíduos tumultuavam e desrespeitavam a Polícia Militar, dificultando assim a instituição da segurança adequada e que muitos condutores estavam dirigindo totalmente embriagados, circulando com crianças”, completa o texto.

 

O Capitão Siqueira informou que a BM possui apenas 13 soldados para garantir a integridade de aproximadamente 10 mil pessoas, número que se aglomeraria nas imediações do Carnaval de Rua. Até a publicação dessa reportagem, o evento estava mantido pela Prefeitura de Rosário do Sul e o desfile das escolas de samba aconteceria no entorno da Praça Borges de Medeiros.

 

 

O Incidente

Uma mulher não identificada esfaqueou ao menos quatro pessoas no final da segunda noite de carnaval no centro de Rosário do Sul. Uma das vítimas foi atingida no abdômen e encaminhada para o Hospital de Caridade Nossa Senhora Auxiliadora (HCNSA). Lá, ela passou por cirurgia e na noite deste domingo (11) permanecia em quadro estável, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 

ma das câmeras do sistema de monitoramento da festa filmou a agressão e pode ajudar a elucidar os crimes. A briga começou por volta das 5h da madrugada, no entorno da Praça Borges de Medeiros, quando duas mulheres iniciaram uma discussão. Uma das envolvidas, de 36 anos, teria desferido um tapa contra a outra mulher, que sacou um canivete e esfaqueou a vítima na altura da barriga.

 

A mulher ferida com maior gravidade, de 41 anos, teria tentado intervir, assim como um homem, de 45 anos. Ele foi cortado no rosto e a ela teve ferimento profundo na barriga, sofrendo hemorragia. A vítima foi encaminhada ao HCNSA, onde foi internada na UTI e passou por cirurgia.

 

Uma quarta pessoa ficou lesionada. Ela seria maior de idade, mas sua idade não foi divulgada. Com exceção da vítima de 41 anos, todos foram atendidos no HCNSA e liberados.Conforme o Capitão Magno Siqueira, comandante da Brigada Militar na cidade, durante a confusão a equipe de policiais do 3º esquadrão agiu rápido, efetuando buscas e encontrando o canivete usado nos crimes, em frente ao Teatro João Pessoa. A suspeita não foi localizada.

 

O projeto de apoio do Gabinete de Gestão Integrada da Prefeitura Municipal, que disponibilizou o monitoramento com câmeras de toda a festa, poderá ajudar a equipe de investigação da Polícia Civil da cidade a identificar a autora dos esfaqueamentos.

 

Reportagem: Julio Lemos / Gazeta de Rosário

Grupo Aplateia

1 comentário

Anúncios